Por um Mundo mais solidário


Livro de Visitas - COMENTÁRIOS

Data: 03-03-2020

De: DOLORES ANSELMO ALEIXO (LISBOA)

Assunto: VÁ-SE CATAR

Aloisio Ferreira Casa escreve romances que transforma em Bíblias. Romance ou Bíblia? Pretende nos mostrar Deus com elevada mestria. Talvez consiga enganar alguns... Lamento... Eu já fui assim... O meu marido era um canalha, o divórcio correu nos tribunais e ele. Com poder, dinheiro, conseguiu com os seus advogados aliciar, ou antes... Bom, não tenho provas, mas tenho a certeza, untar as mãos ao juiz. Aliás, o juiz é um dos que agora está envolvido no Processo Lexis, entre os muitos juízes que desenvolviam atividades ilícitas. Eu é que me lixei. A vida tem essas, as mais ilustres personalidades de Portugal. No entanto, quem não tem dinheiro, poder, é comido à força toda. Justiça? Não há justiça! A corrupção está aí, vencedora, à solta. Há dias as notícias passaram a notícia de um Padre que roubava... A igreja está cheia de casos de pedofilia... Justiça? Qual justiça? Minha mãe me ensinou sobre amar a Deus... A ir à missa... Até cheguei a acreditar... Hoje não. Abri os olhos e até já não ponho as mãos no lume pela única pessoa em quem acreditava cegamente... DEUS! Até Deus é injusto, corrupto... Alinha ao lado dos poderosos. Por isso, abomino estas obras como as deste autor, com rasgados elogios à personagem aludida, DEUS, com mestria e elegância, uma mentira política e social de um Portugal que se pinta como o Portugal dos Oitentas, mas não passa do Portugal dos oitinhos, da miserabilidade. Caro escritor, vá-se catar com o seu Deus...

—————

Data: 03-03-2020

De: ANA ELISA ABREU (VALE DE MILHAÇOS)

Assunto: BASTA

Considero este livro DEUS E O FIM DO MUNDO um pobre livro, escrito por um escritor presunçoso que foi meu vizinho, aqui em Vale de Milhaços. Um livro que revela uma natural predileção do autor para se armar em grande defensor de Deus. Já quando aqui morou ele participava nas ações da Igreja local. É uma leitura reveladora da real intenção alienatória do autor e daqueles que nos bombardeiam com essa balela utópica... DEUS! DEUS! DEUS! DEUS! Que fez Deus por mim? Que fez Deus por nós? Somos todos os dias explorados, pelos patrões, pelos ordenados de miséria que não dão para nada, trabalhamos, trabalhamos, e no fim, enquanto os que beneficiam do nosso trabalho ficam cada vez mais ricos, nós não conseguimos pagar as contas, os bancos ficam com as nossas casas e para nos distraírem, evitarem que lutemos, que vamos para a rua exigir respeito e os nossos direitos, surgem estes animais como o escritor: “calma, calem-se, Deus os compensará...” Quando? Quando estivermos mortos? Quando nossos filhos estiverem mortos? Que grande sacanagem de quem nos manda calar quando vivemos uma vida de merda. Definitivamente, gostaria que todos esses defensores de Deus, dessa grande mentira fossem para os quintos dos infernos. Há! É impossível! São apenas mentiras alienatórias. Deus é uma mentira! O inferno é uma mentira! O diabo é uma mentira! Porra! Merda! Basta de nos enganarem, de enganarem o povo...

—————

Data: 03-03-2020

De: LAURINDA DIOGO PEREIRA (CANEÇAS)

Assunto: MAESTRIA EMOTIVA

Creio ter conhecido o escritor quando era criança e frequentei a Escola Preparatória Nuno Gonçalves. Já lá vão tantos anos que não tenho a certeza, mas penso ser o meu colega que tratávamos por uma alcunha de que também me não lembro. DEUS E O FIM DO MUNDO é um livro na linha dos bons romances, em que encontramos uma grande diferença em relação aos outros, o modo como fala de Deus e do Amor. Um poderoso e acutilante romance, de complexas e imprevisíveis personalidades: O próprio avô, Marquinhos, o Padrinho. Um romance que trata o tema morte de uma forma natural, mostrando que não é o fim, mas um recomeço para uma nova vida, para quem for um Salvo em Cristo Jesus que Aloisio Ferreira Casa trata com maestria emotiva.

—————

Data: 02-03-2020

De: CATARINA EDUARDA AMORIM PINTASSILGO (LISBOA)

Assunto: AMOR NOS TEMPOS MODERNOS

Ai este meu ex-colega da Refer... Sempre surpreendendo. Já li alguns livros dele e este DEUS E O FIM DO MUNDO é, para mim um dos favoritos deste autor que cada vez me surpreende mais. Uma história bonita, num romance que gira em torno, no plano mais visível, à volta da família e do seu mistério, de Marquinhos. Contudo, ele é mais que isso, conta a história de uma família fidalga, aristocrata, os antepassados do Avô de Marquinhos, nobres que tiveram de abandonar e fugir da sua terra, Vinhais e percorrer uma distância enorme, até chegar na região de Alenquer. Recomeçaram de novo, mas a mesma doença que uma serviçal enfrentou e fez a população de Vinhais os perseguir... A LEPRA. Volta a surgir e dizima o novo local. Os antepassados do Avô sobrevivem e com duas ou três família sobreviventes, mudam de novo, desta feita para mais perto... Para a encosta em frente, onde fundam Aldeia Gavinha e encontram solos muito mais ricos que os da outra encosta onde se haviam centralizado, progridem e séculos depois a família vive essa nova. Uma verdade que frequentemente esquecemos. A virtude do recomeço confinado e clamando a Deus. Podemos perder tudo, mas com Deus, clamando a ele, o recomeço será bem sucedido. A GLÓRIA DA ÚLTIMA CASA SERÁ MAIOR DO QUE A PRIMEIRA! Os tempos atuais não apagam essa verdade que Deus nos ensina e nos ensina que por vezes temos de perder para ganhar.

—————

Data: 02-03-2020

De: CATARINA EDUARDA AMORIM PINTASSILGO (LISBOA)

Assunto: AMOR NOS TEMPOS MODERNOS

Também eu fui uma Vicentina. Frequentei o Liceu Nacional de Gil Vicente e no 3º Ano pertenci à mesma turma deste escritor. Resolvi ler este DEUS E O FIM DO MUNDO. Há muito que não me identificava tanto com um livro É um livro realista sobre o romance nos tempos atuais, das tecnologias, das redes sociais de que acabamos sendo escravos... Mas é também uma época em que as pessoas se voltam mais para elas mesmas, se isolam, se afastam de Deus. Aloisio expõe muito lucidamente a pressão social que todos suportamos hoje. Gostei imenso de o ler e revi-me em várias situações descritas.

—————

Data: 02-03-2020

De: JOSÉ GUEDES CANAVEIRA (ERICEIRA)

Assunto: UM MUNDO SEM FIM

Tenho a honra de ter sido UM VICENTINO e ainda cheguei a fazer parte do Grupo Teatro O Gaja com este autor e com o Paulo. Foi bom recordar os tempos do Liceu Nacional de Gil Vicente, através deste escritor. Uma, não direi surpresa, mas sim meia surpresa. Ele já escrevia muitas peças que o Grupo de Teatro representava. Adaptava outras. Depois vim para Paris com os meus pais e não soube mais nada deste antigo companheiro, nem do Paulo. Agora fui surpreendido ao ver este livro na Amazon, DEUS E O FIM DO MUNDO. Excelente livro. Quem gosta de temas sobre a vida, o Fim do Mundo e o Amor não pode perder... é um livro a não perder, neste nosso mundo SEM FIM!

—————

Data: 02-03-2020

De: MATILDE DIONÍSIO DE ALMEIDA (PARIS)

Assunto: o diabo

Sou tia da priemera??? muler do escritor Da mulher... Uma ves cassado, cassado pra toda vida. Divorsso é do diabo. Aluizio fala de Deus mas não se impotou deixar minha sobrinha. Minha mae me enchinou que casamento e pra vida toda. Escritor só no Brazil memo. Deve gnahr muito bem para comprar publicassão dos livros.

—————

Data: 01-03-2020

De: LUÍSA ISABEL CARDOSO GASPAR (VALE DE MILHAÇOS)

Assunto: O QUE PENSAS ATRAIS

DEUS E O FIM DO MUNDO é um livro muito simples, escrito por um autor genuíno que tem o amor dentro de si e como tal fica fácil falar de amor e de Deus. Não sou hipócrita e não venho aqui como outros dizer que... ai eu sou amiga... ai eu fui intima... ai eu amo este escritor... ai eu fui vizinha deste escritor... Quando lidavam com ele, sendo apenas um simplório empregado ferroviário não queriam saber dele, mas dá jeito dizer... “sou amiga do escritor”. Nossa! Como soa bem! Já que não temos capacidade de ser famosos, ao menos que nos colemos a quem se destacou, para lambermos as sobras desse destaque... Agora imaginem se o escritor ganhasse o Prémio Nobel. Arrastavam-se a seus pés... Bom! É assim o nosso mundo... Aos detratores do escritor deixo este recado. Não! Não sou amiga! Tenho-o no meu coração, como uma mãe tem dentro do coração um homem como este escritor. Recuando alguns anos... Não esqueço a noite em que me atirei e abracei, acho que beijei mesmo, este escritor. Seriam por volta de umas três horas da madrugada... Fi-lo porque sou mãe... Porque meu filho era amigo e brincava com o Bruno e o Daniel... Fui mãe muito nova, com 18 anos. O pai se mandou e nunca quis saber do filho... Mãe solteira sofre. É difícil. Meu filho não é bom, nem mau, tem a idade do Bruno 26 anos. Na altura tinha apenas 11. Um dia o meu filho saiu de casa para ir para a escola, pelas 7 horas e 30 minutos, não foi na escola, não apareceu em casa durante todo o dia. Fiquei desesperada... Nove horas da noite... 10... 11... Meia Noite... E nada dele... Era bem possível que estivesse com o Bruno e o Daniel... Fui procurar... Eles disseram que não o tinham visto... A mãe deles garantiu que ele não tinha aparecido em sua casa. Este escritor, chegara do trabalho pelas onze horas da noite... Procurou acalmar-me... Disse que rezasse... Estava certo que nada de mal lhe acontecera... “notícia ruim tem a perna curta”. Palavras amigas de encorajamento... Fui para casa... Qual a mãe que conseguiria dormir sem saber nada do filho? Me digam os entendidos que eu nada sei. Pois bem... Afinal, o meu filho estava em casa do Bruno e do Daniel... A mãe deles sabia e ajudou os filhos a esconder o meu filho de mim e do marido, este escritor... Será que ela é mãe? Como pode esconder meu filho, sabendo como eu estava aflita? Cerca das três horas da madrugada, este escritor ouviu risadas estranhas vindas do quarto dos filhos. Levantou-se, foi devagarinho espreitar e encontrou os filhos, o Bruno e o Daniel, com o meu filho, deitados na cama a jogar Playstation. De imediato foi me chamar. Eu morava no 3º piso do prédio e eles no 4º. Aquele abraço e beijos foram de uma mãe que estava um farrapo, olhos vermelhos das lágrimas que chorou horas e horas a fio, aflita... Onde estava seu filho? Foram de uma mãe que acabara de aliviar o seu coração. Disse a imbecil da esposa dele: “Maravilha... Você tinha de entregar o filho para essa mulher... Uma vadia... Mas vejo como são chegados e os carinhos que a vagabunda lhe faz... Porque não a leva para a cama?”. Eu sempre soube que mais tarde ou mais cedo, o “bocado estaria guardado para quem o iria comer”. Aquela imbecil não era corna, tinha um homem que qualquer mulher desejaria ter, sério, dedicado á família... Trabalhava muito, fazia muitas horas extraordinárias, ia no supermercado, vinha carregado com os sacos do super, fazia o comer e a idiota nada estava bem para ela. O grande problema dela era que queria ser corna. Não era corna, mas queria sê-lo. Estava desesperada para ser corna... Hoje está só... E nem sequer conseguiu ser corna. O marido era homem de caráter, não aguentou mas nunca lhe pôs os cornos. Quando se fartou foi embora. Naturalmente. Todos sabíamos que isso acabaria por acontecer. E durante muitos anos permaneceu sozinho, antes de encontrar outra mulher e se ter mudado para o Brasil. É! “guardado está o bocado para quem o há-de comer” Como a imbecil deve estar frustrada... Fez tudo para ser corna e nem corna conseguiu ser. Quanto a mim a vadia, continuo a lutar e a procurar educar meu filho, só. Meus amigos, não queiram inverter a questão. A imbecil apenas teve o que mereceu e ela muito procurou. É uma realidade tão evidente, tão básica que até assusta. Sim o que pensamos atraímos essa é a nossa realidade. Ela tanto se esforçou por ser corna que embora o não tendo sido, acabou só... Essa é a história da corna que quis ser corna e nunca o foi, mas não passa de uma corna frustrada, imbecil. Dizer que sofre de diarreia mental aguda é muito pouco. Chamemos os bois pelos nomes. Ela é uma imbecil, uma corna que nunca foi corna, mas acabou corna sem o ser. Simples!

—————

Data: 01-03-2020

De: DENIS FILIPE ALMEIDA CHÉNEY (ERICEIRA)

Assunto: UM BOM LIVRO

Aos leitores de O ERICEIRENSE, na minha critica semanal, por sugestão do meu Diretor, hoje vou analisar o livro DEUS E O FIM DO MUNDO de Aloisio Augusto Ferreira Casa. Não conheço o autor, pelo menos como escritor. Sei pelo que ouvi que aqui desempenhou funções no âmbito do Projeto do Sport Lisboa e Benfica, Para Ti Se Não Faltares. Como estou a viver na Ericeira há apenas 3 anos, não tive a oportunidade de o conhecer. Confesso que não é propriamente o meu estilo de leitura, no entanto, como critico literário não me compete ser influenciado por preferências pessoais. O livro é um romance, bastante romântico, sem ser lamechas o que é uma primeira nota positiva. Com uma trama muito bem construída e no que é essencial para prender o leitor, tem grande suspense. Desde as primeiras linhas que nos apercebemos que existe um mistério na família de Marquinhos que este desespera por descobrir. Excelente o autor, nesse capítulo. Prende o leitor que não mais deixa de procurar avidamente saber qual é o mistério e só no finalzinho ele se revela. Quando dá por isso o leitor na busca pelo mistério já devorou o livro inteiro. No geral, adorei o livro, embora não seja apreciador da parte em que ele se transforma numa espécie de: "Conversas com Deus". Abre novas perspectivas para os que se reveem nessa crença num Deus que superintende ao mundo e a nós próprios.

—————

Data: 29-02-2020

De: NERY LEMOS RAPOSORIBEIRO (LISBOA)

Assunto: LER É OBRIGATÓRIO

Como crítico literário, este livro “DEUS E O FIM DO MUNDO” surpreendeu-me pela excelente qualidade da trama, um romance que fala de amor, cheio de suspense e muito bem construído, numa história simples e das mais belas que já

—————

Data: 29-02-2020

De: JOSÉ VITOR JANEIRO (PARIS)

Assunto: MAIOR CAPACIDADE INTERPRETATIVA DA BÍBLIA

Estou há 32 anos emigrado em Paris. Sou um enfermeiro e como tal lido bastante com um dos principais temas deste romance, DEUS E O FIM DO MUNDO, a doença e a morte e como se lida com elas. Aloisio Ferreira Casa, pode não ser um consagrado da literatura, pode não ser um escritor conhecido, mas, é, sem qualquer dúvida, um dos maiores escritores que falam e escrevem sobre DEUS! A sua inteligência e perspicácia que quando passadas para o papel, demonstram uma superior qualidade e um excecional capacidade interpretativa da Bíblia. É um privilégio a sua leitura. Este livro é um dos exemplos.

—————

Data: 29-02-2020

De: LUÍS MANUEL DA SILVA SARMENTO (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: A VELHICE NA PRIMEIRA PESSOA

O meu amigo e poderei mesmo dizer, familiar, o escritor ALOISIO FERREIRA CASA, resolveu me honrar com este livro, DEUS E O FIM DO MUNDO. A história que conta é a história da minha família. Não espero muito mais da vida, não passo de um velho com 88 anos. Sou o avô de Marquinhos, da história e na vida real. Deus tem sido muito bom para mim. Apesar de tudo, colocou pessoas maravilhosas na minha frente, o meu Compadre Ferreirinha que Deus tenha. A minha Comadre Tina que agora foi para outra dimensão, está ao lado de Deus, com Jesus. E este grande amigo, o Padrinho de meu Neto. Hoje agradeço a Deus, a saúde não ajuda, assim como a da minha esposa, ela com 81 anos, também a não ajuda. O livro é Muito Bom! Tão bom que vi aqui, noutro testemunho, pela voz de outra leitora, certamente jovem que ele virou um ponto da sua Tese de Mestrado! Excelente!

—————

Data: 29-02-2020

De: ANDRÉ ANSELMO XAVIER (DAMAIA)

Assunto: HORRÍVEL

Aloisio Ferreira Casa, mais um livro... DEUS E O FIM DO MUNDO... Supostamente fala de amor... AMOR??? Até há pouco tempo o primo dele, também Aloisio viveu aqui na Damaia, como a tua Julia... Mas o que interessa é o livro... Apenas um comentário tenho a fazer... É simples... O pior livro que já li... O pior escritor do Mundo... Não há pachorra...

—————

Data: 29-02-2020

De: ANA PINTO DOS SANTOS RAYNER (CAMBERRA)

Assunto: SEM PALAVRAS

Vim para a Austrália há 20 anos, hoje estou à frente da Associação Católica Portuguesa e baixei este livro apenas por curiosidade. Sem dúvida superou as expectativas. Deixa-nos sem palavras, ficamos perturbados pelos comportamentos dos humanos que constatamos todos os dias, mas acabamos por não os perceber e aqui, em DEUS E O FIM DO MUNDO o autor realça. Como nos estamos afastando de Deus... Cada vez mais... Ficamos a pensar... Do que realmente o ser humano é capaz numa situação extrema... Veja-se o pequeno, grande drama de Marquinhos, a sua busca pela revelação do segredo que afeta a sua família... Uma família tradicional... Aristocrata... Veja-se que os seus antepassados foram forçados a fugir de Vinhais pelo medo de uma doença, a Lepra de uma serviçal... Acabam fundando Aldeia Gavinha, mas... O medo... O não se voltar para Deus... E séculos mais tarde... A tragédia que afeta o pai de Marquinhos ao perder em condições trágicas o primeiro filho, afogado no poço da igreja de Aldeia Gavinha... Reage exatamente da mesma forma... A dor tira discernimento... Em vez de procurar conforto em Deus, se vira e só não comete o assassinato da ama porque Deus age provocando os desencontros... A ama que acaba fugindo, esmagada pelo desgosto e a sensação de culpa, mas que também não procura Deus... Um livro que nos faz refletir nos caminhos que estamos trilhando... Nas piores situações, temos Deus... Mas se o esquecemos e não procurarmos, a coisa pode ficar ainda pior... Muito pior...

—————

Data: 28-02-2020

De: CLAUDIA MARIA PIRES DE MATOS (LINDA-A-VELHA)

Assunto: IMPERDÍVEL

DEUS E O FIM DO MUNDO! Excelente leitura e exposição de uma realidade histórica e atual, inequívoca, entre muitas outras. Baixei este livro, procurando um bom livro, um romance, para ler. Contudo, ele foi muito mais além. Na faculdade tenho uma Tese para desenvolver sobre o Escravagismo e encontrei neste livro matéria para desenvolvê-la. Do ponto de vista histórico, do que foi a época da escravatura, no papel que Portugal teve na mesma e... Na atualidade. Somos hoje, novos escravos... Não somos livres e as instituições não gostam que pensemos... Somos escravos das instituições e até de nós próprios. Presos aos telemóveis e tantas outras novas tecnologias. Este livro expõe as verdades por trás das mentiras.

—————

Data: 28-02-2020

De: MARIA BOAVIDA CASTANHA (ERICEIRA)

Assunto: LOUCURA

Acabei de ler este livro DEUS E O FIM DO MUNDO. Como reagir a ele? Não é muito frequente encontrar em um livro, considerações sobre Deus como as que o escritor aqui coloca. Vemos uma mulher, a Comadre, lutar contra a doença, estando em fase terminal, em coma. Nesse impressionante testemunho, o escritor leva-nos a acreditar que a fé em Deus pode devolver a saúde dela, mas acaba não recuperando. Pretende, creio eu, o escritor realçar a importância dessa experiência pessoal, dos valores cristãos e o sentido mais profundo e positivo da própria vida. Mas a realidade é bem diferente. Uma viragem na trama, na minha ótica, incompreensível. Acreditar de que nós, os seres humanos seremos tão extraordinários que acabaremos por substituir o próprio Deus e Jesus, julgando nossos conterrâneos e até os anjos, é demasiada loucura. De facto, o escritor coloca alguns versículos bíblicos que parecem apontar nessa direção, mas não creio que eles sejam verdadeiros? Bem sei que estão lá, na Bíblia, mas quem os colocou? Tenho confiança no meu Deus e acabei desiludida com este livro, devido a essa questão.

—————

Data: 27-02-2020

De: ANA SOFIA COUTO (TREVISO)

Assunto: AO ESCRITOR!

Caro escritor Aloisio Ferreira Casa
Peço perdão pelo abuso de lhe estar a tirar o seu tempo escrevendo-lhe esta carta. Não tenho o prazer de o conhecer, mas hoje sei que você faz parte da minha vida. Sou muito jovem, dizem. Apenas 20 anos. Nós, jovens, temos frequentemente pressa em viver a vida e sonhamos em dominar o mundo. O mundo que achamos que é nosso. Não! Não é! O mundo não é de ninguém, é de Deus. Há alguns anos, estava numa fase difícil, queria tudo e minha mãe, meu pai, estavam sempre contra mim. Era uma chatice. Os pais são tão chatos! Nunca nos compreendem! Estão sempre contra nós. Não é verdade, mas é isso que pensamos aos 16 anos. Queremos nos libertar das amarras maternas, paternas e de todas as outras amarras que nos sufocam. Como alcançar a liberdade. Nada melhor que um namorado, Comecei a namorar com 17 anos e até estava prestes a me lançar numa vida a dois, com alguém que era tudo para mim. Era a minha liberdade. Veja bem. Nunca o considerei como sendo o meu AMOR, mas sim como sendo a minha liberdade. Não sei como, nem porquê. Tinha concluído o meu primeiro ano da faculdade no Curso de Gestão Empresarial. De repente deparei-me com um livro seu. MANUAL DE INSTRUÇÕES. Tocou-me profundamente. Fez-me acordar e ver que estava cometendo o pior erro da minha vida. Não amava a pessoa com quem planeava me juntar numa vida a dois. Percebi que não era por aí que alcançaria a minha liberdade. A forma como expôs o amor mudou-me. Compreendi que não somos donos do mundo e até que o mundo não é nosso, é de Deus! Até nós, como tudo o resto somos de Deus.
Acabei terminando esse relacionamento, vi meus pais com outros olhos, como amigos verdadeiros em quem podia confiar. Concluí a minha licenciatura. Há ano e meio surgiu-me a oportunidade de trabalhar numa grande empresa italiana, aqui em Treviso, enquanto podia continuar a estudar, tirando o mestrado em Gestão Empresarial na Universidade Europeia. Confesso que acabei esquecendo de si e do seu livro. Agora a coisa ficou feia. Aqui vive-se aterrorizados com esse novo drama o tal de Corona Virus. Todo o Norte de Itália está com medo. A situação em Trevisa é terrível. A cidade está sitiada, ou seja, fechada, não entra e não sai ninguém. Pior, estamos proibidos de sair de casa. As autoridades vigiam para que ninguém desobedeça ao Recolher Obrigatório. Em situações emergências, para ir ao supermercado ou em caso de doença, a um posto de saúde ou ao hospital, temos de solicitar autorização e tomar todas as medidas de segurança que nos são impostas. Agora veja bem, eu uma jovem com 19 anos, retida em casa... Bom; tempo é o que não me falta. No meu tablet ainda guardo o seu livro. Procurei e vi que tinha novos livros. Acabara de publicar este DEUS E O FIM DO MUNDO. É a segunda vez que transforma a minha vida. Li-o e verifiquei que outras pessoas, muito antes de mim, já passaram por situações idênticas, como o caso da Lepra e dos doentes internados no Rovisco Pais. Aliás, passaram por situações muito piores que eu. E a doença da Comadre que a fez ir a óbito, a ternura, o amor, a saudade, a angústia, presentes no diálogo do Padrinho de Marquinhos consigo próprio, pela perda da mãe, a Comadre. Meu Deus! Mas o padrinho compreende que é o desígnio de Deus e que apesar da dor e da saudade, Deus levou a comadre porque era a hora dela, o melhor para ela e que hoje, ela está muito melhor, ao lado de Deus e de Jesus. O seu livro é maravilhoso, um hino ao AMOR. Como estava sendo hipócrita. Mesquinha, pensando só em mim. Afinal que tenho eu? Nada! De momento, pelo menos, nem sequer estou doente, embora aqui, na cidade, muitos estejam infetados com esse virus... Apenas não posso sair de casa. Mas até isso me deu oportunidade de ler e encontrar mais um belo livro seu. E veja bem. Hoje estou namorando com um jovem daqui, de Treviso e para a Honra E Glória de Deus, não o consigo ver como sendo o meu passaporte para a liberdade, mas como o grande amor da minha vida, com quem quero viver para sempre. O que é maravilhoso é que eu amei, fiquei fascinada com a forma como descreveu o amor em MANUAL DE INTSRUÇÕES, mas hoje sei do que você estava falando porque vivo esse amor com o meu namorado. Bem dizia você em MANUAL DE INSTRUÇÕES, vale a pena esperar porque Deus nos tem reservado em alguma passagem da nossa vida o amor verdadeiro, certo para nós. Ainda bem que não me lancei naquela aventura que não me libertaria, apenas me traria mais sofrimento. Só Bom! Tempo não me falta. MANUAL DE INSTRUÇÕES e DEUS E FIM DO MUNDO que livros extraordinários e que me transformaram. Então; se Tempo me não falta, cá vou eu... Acabei de baixar mais um livro seu... A TERRA DOS SONHOS. Acho que não vai ser o último... Vou baixar e ler os restantes livros seus... Fiquei fascinada pelos seus romances que edificam, nos levam ao amor e aproximam de Deus!

—————

Data: 27-02-2020

De: JAMILA MOISÉS MADEIRA (ERICEIRA)

Assunto: SIMPLESMENTE O AMOR

Sou uma jovem de vinte e dois anos, líder da JS-Juventude Socialista da Ericeira e não posso esquecer que este Senhor, Aloisio Ferreira da Casa, me proporcionou oportunidades únicas, quando foi Diretor Geral do Campo de Férias Desportivas da Quinta do Forte. Hoje escritor, li este livro com muito agrado. DEUS E O FIM DO MUNDO é um romance maravilhoso, em que fala daquilo que sempre encontrámos dentro do seu coração, do AMOR. O romance conduz o leitor através da trama da família de Marquinhos, se enleando na trama, ficando prisioneiro do AMOR, mais próximo de Deus. DEUS E O FIM DO MUND será certamente apreciado pelos amantes de romances e é um maravilhoso livro.

—————

Data: 26-02-2020

De: MARIA CÂNDIDA DAVID CAMBADO (ERVIDEL)

Assunto: CESSAR OS ULTRAJES

Acabei de ler este livro, Deus E O Fim do Mundo. Sou a esposa do Bento, um primo se bem que afastado, do escritor. Era filho do tio dele, Aloisio Cambado, mas não era da tia Júly. Um livro muito importante. Sei que é um romance, mas fala de muita coisa, acima de tudo, do amor. Tocou-me particularmente a parte referente aos leprosos. Tive uma tia, irmã de minha mãe que foi internada nesse hospital Rovisco Pais. Parece que a hanseníase (lepra) não só era conhecida há mais de 2000 anos, a Bíblia fala dela, mas também que era reconhecida como um problema importante. Infelizmente, pouco mudou desde então. Embora a hanseníase seja conhecida principalmente como "e; import" e; Na Europa e na América do Norte, na maior parte do mundo, continua sendo o problema que sempre foi, uma doença estigmatizante comparável à pestilência moderna, a AIDS. Quem poderia esquecer a gravura de Durer de um leproso andando com um badalo para anunciar sua presença ou as histórias comoventes de pacientes, especialmente aqueles com hanseníase lepromatosa, expulsos por suas próprias famílias para se tornarem párias sociais forçadas a implorar por comida. Essa atitude está mudando lentamente. Este livro é mais um contributo para mudar essa mentalidade. Um livro que fala de amor.

—————

Data: 26-02-2020

De: ANTÓNIO VICENTE JANEIRO/PRESIDENTE DA CASA DO BENFICA DE ODIVELAS (CANEÇAS)

Assunto: CESSAR OS ULTRAJES

DEUS E O FIM DO MUNDO é um livro de um amigo e grande benfiquista, que fala de temas importantes. Creio que pode ser considerado um romance. Para mim, achei interessantíssima a referência histórica ao escravagismo e aos novos escravos, voluntários, escravizados pelos telemóveis, computadores, novas tecnologias. O livro é, em última instância, uma condenação das injustiças e um apelo ao fim da indiferença social, para que cessem os ultrajes aos princípios que norteiam a Humanidade.

—————

Data: 26-02-2020

De: Pe ÁNGEL CÁCERES PIZARRO (CANEÇAS)

Assunto: RECOMENDO

Como Pároco da Paróquia de Caneças resolvi comentar o livro; DEUS E O FIM DO MUNDO. É um romance que retrata a saga da família de Marquinhos, um livro que através dessa saga nos transporta a compreender como encarar a doença e a morte. Muito útil no alerta para quem necessita de cuidar da sua saúde, que somos todos nós. Salienta a importância de preservarmos nossa saúde, física, mental e espiritual. Muito bom e completo.

—————

Data: 26-02-2020

De: BFC (LISBOA)

Assunto: ESPIRITUALISMO??????

DEUS E O FIM DO MUNDO! O escritor fala de Deus e de Espiritualismo. Estamos perante um caso de posse, globalização e manutenção da prosápia, um relato alienante, empático e detalhado com o intuito de ficar bem na foto. Este livro é uma fraude, nada tem de espiritual. Não é espiritualismo falar de quem tem feito tudo para governar a vida e foi deixada pelo marido, acusando essa pessoa de sofrer de “Diarreia mental aguda”. Não é espiritualismo esquecer a forma duríssima com educou os filhos, no caminho da verdade, do certo e do errado e um dia, resolve mudar de vida, atravessa a imensidão do mar e do outro lado do Oceano, sofre radical mudança religiosa, social, dos princípios defendidos. Mas que terrível lavagem cerebral terá sofrido... Diz quem veio de lá e conhece bem o familiar espiritualismo tolera a miserabilidade e vagabundagem, trafica drogas, comete com intensíssima espiritualidade vários furtos e sempre dentro da espiritual fraudulenta vive permanentemente na espiritualidade da contra mão. Fosse uma década antes e com os filhos. Seriam excomungados, mas sê-lo-iam a bem da espiritualidade. Perante tanta espiritualidade, vamos encontrar a espiritualidade de quem está do lado de cá e que espiritualmente o deletam e excomungam, nunca mais olhando para a sua cara espiritual. Um conselho. Fique por lá, com a sua espiritual aliança com as tradicionalíssimas espirituais da américa latina, em desconforto com o catolicismo. O pseudo espiritualismo permanece como bastião da tradição alienatória e, ao mesmo tempo, estabelece um caminho para a satisfação dos seus espirituais egos. Este livro, por tudo isso e como lógica e espiritual conclusão, nem merece ser comentado, muito menos que alguém perca tempo a lê-lo, correndo o risco de corromper a sua verdadeira espiritualidade.

—————

Data: 26-02-2020

De: EDUARDA ANDRADE DE RESENDE (ERICEIRA)

Assunto: UM CASO DE LEITURA PELA NOITE DENTRO

Um escritor que foi meu colega no Instituto de Solidariedade Municipal e Proteção à Infância de Mafra, no curso de Animador Sócio Cultural e Desportivo de Mafra, autor deste livro DEUS E O FIM DO MUNDO. Tendo como cenário, maioritariamente, a região de Alenquer e Aldeia Gavinha, o livro conta a saga da família do Marquinhos, é um excelente livro que fala do amor e da família, onde o autor vai buscar elementos ao nosso quotidiano, para fazer uma importante e atualíssima critica das sociedades atuais. O autor é mestre na arte de fazer um discurso através da escrita, simples sobre o amor. Apenas mais um reparo. Numa página aberta aos leitores para expressarem a sua opinião, todos são livres de o fazer, e teremos de respeitar todas as opiniões, mas o bom senso deveria coibir aqueles que não têm a mínima capacidade para o fazer. proteger-se-iam a si próprios de caírem no ridículo. Os comentários mais elogiosos e reconhecendo a grande qualidade da obra foram deixados por gente altamente culta, com conhecimentos profundos de literatura e de ciências sociais e políticas, entre outros. Portanto pretender desvalorizar a opinião deixada por esses leitores é ridículo e até, de uma tremenda má fé! Resumindo, sobre o livro, é um caso de leitura pela noite fora, o leitor não vai conseguir pousar o livro... Até terminar de o ler.

—————

Data: 26-02-2020

De: JOSÉ CARLOS SOUSA FERREIRA (ERICEIRA)

Assunto: CHORO LÁGRIMAS DE SANGUE! ESTAMOS PERDIDOS!

Não seria minha intenção comentar nada aqui. Tenho 86 anos, uma vida passada aqui na Ericeira, a terra onde nasci. Não gostei do livro DEUS E O FIM DO MUNDO, como não gostei dos anteriores deste escritor. Lamento que o mundo esteja realmente no fim. Este escritor como tanta gente o diz, não era nada, não passava de um mero funcionário dos comboios. Alguns dizem-se admirados com o seu talento??? Que talento??? O que o Aloisio Ferreira da Casa foi, foi muito esperto. Começou por ver que uma Santa que por aqui passou e Deus a tenha, estava a ser crucificada na praça pública, tal e qual como Jesus o foi. Viu que se aderisse aos algozes teria muito a ganhar. Foi para o Brasil, onde como vemos todos os dias na televisão, reina a corrupção, a violência, a criminalidade. Foi fácil tirar o curso. Depois escreveu umas coisas... Ele continua a não ser nada. Mas deixou a propaganda brasileira tratar de as difundir, aos poucos foi ganhando publicidade e quando demos por ela, já estava com a carreira feita. A partir daí, foi sempre em crescendo e agora até vem a terreiro afirmar que será um dos juízes de Deus, de Jesus. Não escapa ninguém, nem a mãe dos filhos dele, nem sequer um grande Presidente, uma figura intocável, como Donald Trump, achincalhado e ridicularizado pelo senhor Aloisio. Nos meus 86 anos nunca deixei de ir à igreja e me satisfaz de ser temente a Deus, mas tenho de confessar que estou desiludido com el. Como Deus permite que este senhor??? Espalhe todo o fel sobre gente de bem, como Trump. É que na sua incomensurável ambição, já não lhe escapa ninguém... Nem Trump. Se Deus fosse um Deus de justiça e verdadeiro, já há muito tinha parado este senhor Aloisio Ferreira da Casa. Teria enviado um raio que o rachasse de alto a baixo, reduzindo-o a cinzas... Noutros tempos, estaríamos a salvo, nos tempos da defesa da hionra e da palavra de Deus, em que essa grande organização, a Santa Inquisição levaria este senhor a ser queimado na fogueira. Sinais dos tempos. Estamos realmente no FIM DO MUNDO. Com 86 anos nunca pensei que um dia assistiria a estes atentados contra Deus. O mundo está entregue aos cangaceiros. Resta-me chorar lágrimas de sangue. Estamos perdidos.

—————

Data: 23-02-2020

De: Pe JEAN CARLOS PICAZA CASTILHA (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: A GRANDE QUESTÃO ENVOLVENTE DA MORTE É A VIDA!

Não podia deixar de ler o livro [DEUS E O FIM DO MUNDO]. Como Padre responsável pela Paróquia de Aldeia Gavinha no Concelho de Alenquer, onde toda a trama retratada no Livro se passa, embora com nomes fictícios, se trata de uma história que abalou uma das famílias mais tradicionais desta freguesia em que seus antepassados foram os fundadores desta localidade. Conheço a história, embora não fosse eu o Pároco na época dos acontecimentos. Conheço o “Velho Ti Luís” (velho com todo o respeito). O livro é excelente e fala de muitas coisas importantes para nós, humanos e cristãos. Fala de sentimentos, de amor, de solidariedade e acima de tudo, de entrega e obediência a Deus. E fala da morte. Quando foca o que foi esse período negro do Hospital Rovisvo Pais, para onde eram lançados os doentes com lepra em Portugal. Essa terrível doença que também está ligada à saga da família do Marquinhos (do velho Ti Luís), assim com está ligada à própria fundação de Aldeia Gavinha. Depois fala das doenças a que todos estamos sujeitos e particularmente, a da Comadre, em fase terminal, até ir a óbito. Ao ir a óbito, o autor lança um emocionante diálogo da personagem “Padrinho”, consigo próprio, como filho da Comadre. É um hino de amor, um reconhecer da perfeição de Deus que leva a Comadre, não por castigo, mas por ter chegado a sua hora, chamando-a para se sentar a seu lado e ao lado de Jesus, Nosso Salvador. Um livro que ajuda a amar ainda mais a vida e a temer menos a morte... Parabéns ao autor. A morte é talvez o maior medo de boa parte das pessoas, além de ser ainda um tabu. No entanto, Aloisio Ferreira da Casa mostra-nos, neste livro, que a grande questão que envolve a morte, na verdade, é a vida.

—————