Por um Mundo mais solidário


Livro de Visitas - COMENTÁRIOS

Data: 28-04-2013

De: KALINE (Sec Pod Jud Acrelândia)

Assunto: Denúncia

Oi! Fomos sua casa, Soube que saíu de Acrelândia fugido. filho s esposa ameaças. Tem de voltar falar c Jonas e fazer denuncia Delegacia Mulher. Ele sera notificado de restrição n podendo aproximar + 500m. Se o fizer, basta telefonema vai direto p penal. Registre Boletim Ocorrências.

—————

Data: 21-04-2013

De: KALINE (Sec Pod Jud Acrelândia)

Assunto: VC

Você é uma pessoa muito especial! Não há coisa melhor no mundo. Você é uma pessoas única, rara, queria ter vc ao meu lado pra sempre. Tenho muita admiração por vc, com vc e Deus eu sei que era feliz e bem protegida. Vivo nas trevas pq n tenho vc. Com vc em minha vida das trevas se faria luz. Parabens escritor! Parabens Homem! Mas se sofrer desilusão siga em frente... Não deixe o preconceito dos outros controlar a sua vida. Se liberte e corra atráz felicidade. Fuja da dor, sofrimento, traição se existir. Aceite o passado como erro que faz parte do seu crescimento. Seja otimista e acredite na sua capacidade! Estarei sempre pronta a ficar teu lado. EU TE AMO! POR DEMAIS!

—————

Data: 13-04-2013

De: António Luís Domngos Pardal

Assunto: Lamento

Meu amigo. há 12 anos que vivo em Paris e ao ler o Luso Jornal lamento tudo o que sofreu e certamente sofre aí, no Acre. Foi uma surpresa. Realmento lamento profundamente. Amigo, se calhar deveria voltar a Portugal e sua esposa que escolha, ou o acompanha ou fica junto dos abutres, leia-se filhos. Não aceite humilhações.

—————

Data: 17-04-2013

De: Aloisio Ferreira

Assunto: Re:Lamento

Meu amigo, também eu lamento tudo o que saíu aí em França, publicado pelo Luso Jornal. Não sei quais as intenções de quem publicou, ou se foi um simples e muito lamentável equívoco do autor. Primeiro, no evento de lançamento do meu livro, registou-se apenas um pequeno incidente, entre um filho de minha esposa e a mãe. Pequenas discussões comuns em todas as famílias e sem significado, até porque; para mais, por alguns pequenos indícios, o mesmo poderia estar ligeiramente alcoolizado. E depois, tenho de dizer que fui muito bem recebido pela família de minha esposa, sendo a mesma uma família de carater, humilde, trabalhadora e de grande coragem, sendo um orgulho poder pertencer à mesma. E por todos fui muito bem recebido, fiz grandes amizades. Sobre a qualidade de vida, já nem falo, pois o meu amigo facilmente comprovará a verdade. Portugal está mergulhado numa grave crise, os portugueses deixam o país e um dos destinos privilegiados é o Brasil, porque dá oportuniades e não sendo um paraíso, pelo menos respeita-nos. Como poderá ver, no face, em Lu Ferreira ou em Livros do Escritor Aloisio Ferreira, os links das reportagens, saídas na imprensa, radio e televisão. E poderá ver que todos me respeitaram e honraram. Quanto a quem escreveu a crónica no Luso Jornal, acredito não haver má intenção, mas cometeu um gravíssimo erro, como jornalista, ao escrever sobre fatos que não aprofudou convenientemente, produzido levianamente a reportagem falsiosa que saíu no Luso Jornal. Noutras 'ferguesias' alguém,. também veio a terreiro levantar a bandeira da defesa de??? E apregoando aos quatro ventos os elevados prejuízos, por via de um contrato perdido? Como? Perdido? Para mim não passa de folclore, pois nunca vi tal contrato. nem ninguém me falou sobre o mesmo... Por isso, para mim é simples... nunca existiu. Agradeço amigo que esclareça os nossos conterrâneos radicados em Paris e saibam que estou muito bem e tudo o que saíu aí, é falso.

—————

Data: 27-03-2013

De: Vitor Agostinho Mendes

Assunto: honestidade

Pois é.... Eu também tive a honra de fazer parte do GAJA e nenhum de nós sabia muitas das coisas que vieram a lume sobre o Paulo. Não venho desculpar o indesculpavel, mas, por vezes, as circunstâncias empurram-nos. Vejam o Paulo, com graves problemas financeiros, o banco reclamando a divida e em risco de perder casa, firma, casado de fresco e com a chegada de um filho... Um armazém com um espólio de um grupo de que fizera parte, desfeito... uma oportunidade de garantir a verba necessária a uma renegociação da divida com o banco... Uma oportunidade de saír recomeçar e levantar cabeça... Desonesto? E quantos resistiriam? Claro que deveria ter confiado nos seus companheiros e falar com eles... Mas; e a vergonha da situação... para ele que sempre foi tão vaidoso... Ñenhum de nós sabia... Nem o Caxito, nem eu, nem nenhum de quantos fizemos parte desse grupo... E agora? Ele já cá nem está! Já não compete aos juízos dos homens o julgar! Só DEUS o pederá julgar... Encerrem o assunto... Aquela que impugnou o testamento é bem pior que o Paulo... Também ela será julgada por DEUS. Amigo Caxito, estou consigo... Não nos metamos no assunto! Não comentemos! É algo que passou para o domínio da justiça DIVINA...

—————

Data: 28-03-2013

De: ALOISIO

Assunto: Re:honestidade

CEM POR CENTO DE ACORDO

—————

Data: 26-03-2013

De: MILA FERREIRA (SUA EX COLEGA)

Assunto: MUITO TRISTE! ESQUECEU A NOSSA TINA

Começo o meu testemunho por confessar que depois de ler Coraçando, não gostei. Não posso nem devo pôr em causa o seu talento, a grande importância dos fatos históricos relacionados aos seringais, ao Acre e ao 25 de Abril, mas o livro contém um lacuna gravíssima que passa despercebida, facilmente, para o leitor comum. Não para mim, que conheço a história do GAJA-Grupo de Acção Juvenil de Arroios, do qual fiz parte. Sim; meu amigo, claro que não contém nenhuma falsidade, pois é demasiado honesto para o fazer, mas peca por omissões gravíssimas. Tivera eu o seu talento e escreveria a verdadeira história do GAJA. Ao dar este testemunho, faço-o por que alguém primeiro trouxe a lume verdades omissas, uma vez que não queria ser eu a iniciar as hostilidades. Mas agora não há motivo para não vir aqui contar algumas verdades. Não estamos na sala dos tribunais, mas fica o testemunho para que cada um possa julgar, segundo as suas convicções. E segundo os seus princípios.
NASCIMENTO DO GAJA
O GAJA nasceu formado por um grupo de estudantes do Liceu Nacional de Gil Vicente, onde o Paulo se destacou, pois era um humorista nato, tinha grande talento para representar e como era todo virado para a frentex, vaidoso e insinuando-se, facilmente assumiu a liderança do Grupo, admirado e idolatrado por todos, inclusive, por mim própria. A grande amizade entre ele e o meu amigo, foi cimentada, naturalmente, pela facilidade com que os vossos temperamentos se encaixavam um no outro. Ele era toda evidência. Já você, era aquela pessoa que nunca diz que não a nada, sempre pronto a colaborar, sempre disponível, mas sempre a passar despercebido. Humilde e fugindo do centro da ação.
VOZ DO OPERÁRIO
O sucesso alcançado pelo grupo, nos seus primeiros passos, entusiasmou os seus membros, mas poucos se dispuseram a ter a coragem de correr riscos. Só vc meu amigo, teve a ampla visão de ver que para o Grupo subir o degrau seguinte da escadaria e guindar-se a um patamar mais elevado, seria necessário correr alguns riscos. E assumiu-os. O Paulo, o líder do grupo e o seu maior talento a nível artístico, não tinha visão, não entendia de uma área tão essencial à vida do grupo, como a sua orientação, a estruturação e organização e a visão para assumir os riscos necessários a que pudessem evoluir. Era arriscado? Era! Mas se não arriscassem, poderiam chegar ao nível e ao prestígio que o Grupo alcançou? Não! Nunca passaria de um grupo de estudantes liceais! Existiam os meios para puderem assumir o risco? Não! Um fracasso poderia ter aniquilado o grupo? Podia! Mas quando vc conseguiu chegar à Voz do Operário, assumindo por inteiro os riscos financeiros, e permitindo ao grupo ter acesso a essa sala, uma das mais prestigiadas ainda hoje, reduzindo os riscos do grupo ao sucesso, ou insucesso artístico, o papel do Paulo foi deplorável. Não cpçaborou nos ensaios e limitou-se a comparecer no dia do espetáculo, onde em minha modesta opinião não deveria ter participado, pois no próprio dia, assumiu estar fora do grupo e a sua substituição estava assegurada. Vc pode nunca ter atingido o nível artístico do Paulo, mas também como ator demonstrou o talento e competência. A posição do Paulo foi de intolerância e assumiu que era ou vc, ou ele. Caro colega, podia até estar no seu direito, mas falhou perante todos nós. Ele era o Presidente do Grupo, como foi vencido na votação e o grupo decidiu apresentar-se na Voz do Operário, disse que sairia, mas ficou-se pelos ditos e não ditos. Não foi embora, mas não ensaiou, nem vendeu bilhetes, nem participou na confecção dos cenários, nem colaborou com a sua querida TINA, nas provas para o guarda-roupa, nem em nada... Estava fora, mas continuava a passear-se pelo meio do grupo e no seio deste. No dia do espetáculo, quando viu a casa cheia e a lotação completamente esgotada, com a maior cara de pau do mundo, simplesmente assumiu o seu lugar, como se nada se tivesse passado. Isso é algo que um líder nunca poderia fazer. Ele tinha talento, mas não tinha qualquer capacidade de liderança, muito ao contrário de vc, caro colega. E nenhum de nós esqueceu isso. Na Assembléia Geral seguinte todos votaram em si para Presidente do Grupo. Aprendemos a lição. Nenhum Grupo, nem mesmo as mais famosas companhias teatrais, profissionais, por esse mundo fora, pode sobreviver só com os grandes atores, precisando também de líderes competentes e quem tenha capacidade de gestão e organização.
TINA
Meu querido colega, o Grupo permitiu a nossas mães tornarem-se grandes amigas. A sua mãe, Argentina, a nossa TINA, como modista era muito, muito boa. E na Voz do Operário, pela primeira vez, atuamos com um guarda-roupa e figurinos dignos de uma grande companhia de teatro. Um excelente trabalho de sua mãe, modista eficiente. A qualidade dos figurinos feitos por ela apaixonou minha mãe que se tornou sua cliente e depois, amiga. A partir daí, todos os vestidos, fossem para festas, cerimônias, ou eventos, ou ainda, simplesmente passeios, de minha mãe eram feitos pela nossa querida TINA. E embora com muito trabalho, ela sempre colaborou com o GAJA e o nosso espolio incluía 137 figurinos, alguns fabulosos. Muito trabalho da querida TINA que ainda hoje está no meu coração. Num momento em que já não trabalhava, para fora e os problemas de vista já se faziam sentir, não esqueço o quanto foi difícil convencê-la, mas esqueço o lindo vestido de noiva que ela fez para mim, quando casei. Esse vestido custou-me 233.000 escudos, o equivale a cerca de 1.150€ na moeda atual. Mais tarde, ofereceram-me 1.400€ por ele, mas não tive a coragem de me desfazer dele e guardo-o com carinho e amor. Mas a nossa TINA hoje praticamente sem vista, desgastou suas energias e sua visão, sem nada receber, colaborando nos figurinos do grupo. Sua mãe, nossa querida TINA tinha de ser referência destacada na história do GAJA. Caro colega; creio que foi um lapso lamentável não o referir no livro. INJUSTO!
O NOSSO ESPÓLIO
Onde foram parar os nossos figurinos? Quando o grupo foi desativado, o Paulo não foi autorizado a vender, nem fazer nada com o nosso espólio. Simplesmente, por ter um armazém disponível, ficou como fiel depositário. Em determinado período da sua vida passou por situação financeira complicada, recém casado, e com o nascimento de sua primeira filhota Soraia, o que fez? Vendeu parte do espólio do grupo. E os nossos figurinos foram os primeiros a ser vendidos. Não sabe, mas houve peças feitas pela nossa querida TINA que valeram bom dinheiro. Com a impugnação do testamento tive o cuidado de consultar o processo e encontram-se recibos de: 1.230€; 372€; 210€; 175€ e 125€, só os cinco mais caros. E os recibos constam lá, no processo, o Guarda-Roupa Artístico e Teatral do Parque Mayer, pagou no total; 12.471€. Nem todos os figurinos foram feitos pela TINA, mas mais de 90% foram feitos por ela. Quanto é que o Paulo deu à TINA, desse dinheiro? E a todos nós?
HERÓIS COMO NÓS
Eis um grave atentado cometido pelo Paulo e gravíssimo para com o seu amigo e companheiro. Onde ficou o seu amigão. Não se trata do roubo de uma peça de teatro. Não! É algo bem mais grave. Tudo começou com a solidariedade. Vc meu caro colega sempre pensou nas crianças, sempre labutando na “sua oficina de fabricar sonhos” um dia surpreendeu-nos com essa peça: Heróis Como Nós! Um projeto levado a crianças, onde se brincava com a arte teatral. Uma nova forma de fazer teatro infantil. Assim nasceu a peça "Heróis Como Nós". Levou essa peça, ou projeto, perante as crianças internadas no Hospital Infantil D. Estefânia. E também, às do IPO – Instituto Português de Oncologia. O câncer e a doença, abate esses pequeninos seres e não é fácil, por vezes, animá-los e organizar espetáculos onde eles possam por momentos sorrir s ser felizes. É num ambiente alegre e divertido que se assiste ao desenrolar da história, sendo essas crianças, os pequenos espectadores, chamados a intervir em vários pontos da ação encorajados a subirem ao palco e a participarem na peça teatral. Acabam por se tornar protagonistas da história e, após o começo, o espetáculo e a peça segue ao ritmo das intervenções desses pequenos espectadores, acabando por se misturar tudo, e a dado momento, já ninguém consegue distinguir quem é o expectador e quem é o ator. E sabiamente e imperceptivelmente, lá estava vc. Caro colega, para intervir quando necessário, impondo a direção a seguir, se a história começar a derrapar e sair fora de controlo. Assim, cada espetáculo vira uma história diferente e nunca nada é igual. Assistimos hoje a uma história e amanhã, a mesma, será totalmente diferente. “Heróis Como Nós”, conta-nos a história de dois jovens, Pedro e Maria, que numa visita de estudo, são confrontados com a existência de pequenos seres que vivem debaixo da terra e em que ninguém repara. Um Grilo, uma Minhoca e uma Formiga ganham dimensões de seres humanos, com característica e problemas próprios, revelando-se autênticos heróis ignorados no seu trabalho de preservação dos terrenos e, acima de tudo, capazes de se mostrarem amigos e solidários na busca de soluções para os pequenos problemas dos dois jovens. E aí, começam os espectadores a entrar em cena e transformar-se em atores, e vc indo direcionando-os para a sensibilização da solidariedade, da entre - ajuda, da cooperação, da necessidade de defender o planeta terra, da importância da amizade, etc. A peça ou projeto foi um êxito retumbante, mas entretanto o grupo de desfez e o “amigão” Paulo cedeu a idéia ao TIL – Teatro Infantil de Lisboa, autorizando essa companhia a registrar o projeto na SPA – Sociedade Portuguesa de Autores, como pertencendo ao grupo. Há 4 anos que o TIL leva a peça com assinalável êxito de bilheteira, tendo apresentado a peça em muitos locais, como: Lisboa, Porto, Covilhã, Aguiar da Beira, Nelas, Seia, Azeitão, Vila Real de Santo António, Setúbal, Guimarães. Atuaram em França, Alemanha e Canadá. A peça, foi apresentada no Festival Internacional de Teatro Infantil de Bourg-la-Reine; França, onde obteve UMA MENÇÂO HONROSA e a Medalha de Prata Para Projetos Inovadores em teatro infantil, num certame inde participaram mais de duas dezenas de países e mais de cinquenta grupos e companhias. A peça foi referida como de: autor desconhecido...
O AMIGÃO ACABOU UM ARQUITETO BEM SUCEDIDO. MAS O SEU ATELIER FOI CONSTRUÍDO COM UM BOCADINHO DE MUITOS OUTROS – COMO NÓS – E A QUEM ELE NÃO PRESTOU JUSTIÇA – CARO COLEGA REESCREVA A HISTÓRIA E CONTE A VERDADEIRA HISTÓRIA DO GAJA SEM OMISSÕES E NÃO ESQUEÇA A TINA

—————

Data: 28-03-2013

De: ALOISIO

Assunto: Re:MUITO TRISTE! ESQUECEU A NOSSA TINA

O assunto passou para as mãos de quem tudo pode... DEUS

—————

Data: 25-03-2013

De: Luísa Carvalhosa

Assunto: E aí Benfiquista

Só passei a desejar muitas felicidades. E fico contente com o teu êxito. Não vale a pena mexer mais no molhado, mas a tua história poderia ter sido diferente... O nosso amigo Paulo já cá não está, mas se posso recordar aquele episódio da Voz do Operário, onde tu correste todos os riscos, arriscaste e ele foi contra e disse que saía... Depois, como correu bem, já ficou e colheu os frutos que tu semeaste, não houve mais problemas. E depois mais tarde vendeu peças escritas por ti.... Hoje, alguém te deu valor

—————

Data: 17-03-2013

De: ISABEL NUNES

Assunto: Mil Milhões de Beijos

Eu ficarei muito agradecida se aceitar ser meu amigo e terei com muito prazer pois vi que é amigo de meu irmâo o Francisco Nunes....Eu também sou do Benfica e nâo perco uma oportunidade cada vez que joga o Benfica e aqui na França moro au lado do stadio de França....Se me lembro bém minha avozinha a mâe de meu pai viveu no Brazil toda sua infancia e graças a ela aprendi a falar com o acento do Brazil....Boa noite amigo e encomendei um livro que espero receber na minha morada em Portugal, Lisoa. onde estarei a passar a Páscoa e devo regressar a Paris no final de Abril, espero dê tempo receber o livro em Lisboa Mil Milhões de beijos

—————

Data: 12-03-2013

De: FLORBELA FRADE

Assunto: QUEM E ESSA SUSANA E O IN MATAGAL

Não tenho grande instrussão. Nada perecebo de cinema, e não costomo escrever nas paginas das redes sociais... Mas quando soube que a adevoga Nance Susana Paes se atreve a comentar o que não deve, resolvi aqui deichar a informação de quem é ela: Adevogada. Esteve presa mais ou menos duas semanas, foi solta mas os processos continuam a correr.
São vários os lesados. Em Santa Marta da Ericeira, conseguiu ser eleita para dirigir a casa do Benfica e acabou sozinha, a casa fechou e sem o poder fazer, acabou vendendo patrimonio da mesma. Entrou com processo e conseguiu suxpender a ezecução de um testamento onde tenta ficar com milhares de euros que deveriam ser de um grupo de teatro. Entre as fraudes andam mais de 60.000.000 euros dezaparecidos. Será que os escondeu no tal in matagal? A fraude tem ligação internacional com uma suposta firma canadiana, parece que ja desativada. Mas onde ela surge como propretaria de mais de 80 por cento das ações. E como viúva do suposto dono da firma, com a curiosidade de ter casado três semanas antes do mesmo morrer. Isto me o que sabemos pelos jornais. Anda fugida da Ericeira onde há boa gente, muito lesada, a passar fome devido as suas trapaças com vontade de lhe dar cabo do canastro e enfiar lhe umas boas marretadas cabeça abaixo. Meus tios são uma das pessoas que andam a caça dela. Comprou uma divida deles e falsificou a documentação acabando por tomar a quinta deles no valor de 590.000 euros, quando a divida se resumia a 72.952,94 euros.

—————

Data: 12-03-2013

De: susana paes

Assunto: in matagal

Só agora me apercebi do pseudo sucesso de um nóvel escritor, da Pátria Lusa. Reconheço ser bom de redação, mas para escritor, certamente precisará algo mais. Aí lembrei um filme que vi há alguns anos no cinema; um grupo de europeus estava explorando uma floresta africana e numa aldeola, prestes a serem comidos. Eis quando um deles, usando protese dentária tirou os dentes... A tribo ajoelhou e foram aclamados como Deuses esses europeus. Jamais esses indigenas pensariam que no mundo civilizado era possível tirar e colocar uma dentadura. Depois procurei no mapa e não encontrei o Acre??? Sim, deve ser algum matagal no meio da floresta amazónica onde alguma tribo índia, nada percebendo de literatuar se apresta a aclamar como escritor o primeiro ser que tenha algum conhecimento da escrita...

—————

Data: 13-03-2013

De: aloisio ferreira

Assunto: Re:in matagal

Achar um país, um local, uma cidade, é muito fácil, basta ter um bom mapa... Mas como tudo na vida, ainda é necessário vencer algumas dificuldades, por mínimas que sejam... É PRECISO SABER LER E INTERPRETAR O MAPA e qundo não se tem essa capacidade nada se consegue encontrar... Por Deus que também não se consegue esconder as desonsetidades e golpadas praticadas... Logo, logo vêm ao de cima!

—————

Data: 09-03-2013

De: Lurdes Mendonça

Assunto: Fico Feliz

Bom... Fico feliz porque quem tem talento e valor sempre o vê reconhecido, seja em que cantinho do Mundo for... Assisti durante muitos anos a vê-lo, caro amigo a trabalhar em prole dos outros e mesmo, a muitos a esconderem-se debaixo do seu talento para brilharem... Na verdade o seu amigo \Paulo, que já nos deixou, era um artista nato, mas nunca atingiria o nível que teve, seem um Aloisio Ferreira por trás de si... Aqui na Ericeira, muitos viram os seus filhos terem acesso a atividades e campos de férias, por via do seu empenho, do seu esforço e dedicação. Muitas vezes, ao invés de outros que apresentavam faturas por tudo e nada, quando um equipamento necessitava de um parafuso ou algo semelhante, colocava a segurança e integridade dos garotos que utilizavam esses equipamentos acima de tudo e comprava uma porca, um parafuso, tudo coisas insignificantes, mas cêntimo a cêntimo, pagando os transportes do seu bolso, era o seu pecúlio que se ia dizimando. Deixava de ser voluntário e passava a ser patrocinador... Outros, nem uma mísera esferográfica perdoavam, mas depois, já não se importariam de a levar consigo... Passados quase dois anos da sua saída, muitos dos que o saudavam entusiasticamente, o vão esquecendo... A Dura Crise, a perda de regalias, de salários e os mil e um problemas que nos afetam, fazem com que as pessoas sigam seus caminhos, se voltem para dentro de si e tentem sobreviver. E já fechou a Casa do Benfica, fecharam os campos de férias, por via dos cortes orçamentais e da perda dos subsídios, levados a cabo por um governo sem escrúpulos a quem pouco importa se as crianças perdem os lugares onde lhes ensinavam os valores morais e a distinguir o bem do mal, ficando na rua à merçê da sorte... Eu comm muita dificuldade fiz a minha faculdade, letras, mas a crise não me deu ainda a oportunidade de trablahar na minha área... E como preciso de comer, agarrei-me ao que apareceu... Empregada de Mesa no Popular Restaurante da Ericeira; O GAFANHOTO. Muitos me recriminaram em tom de troça, "andou a estudar e a queimar a pestana para ser empregadinha de mesa". Mas meu amigo, vc, um dos frequentadores do restaurante, onde tantas vezes tive o privilégio de o servir, sempre me tratou com respeito, confessou sua admiração por preferir trabalhar dignadamente, ganhando o meu dinheiro honradamente. E sempre me saudou humildemente, como uma igual a si. Nunca se armou em superior. Por tudo isso... FICO FELIZ PELA SUA VITÓRIA E POR VER TELEVISÕES BRASILEIRAS LHE DANDO O VALOR QUE TEM... Mas que é das nossas televisões? Da nossa imprensa? Só noticiam os que são seus amigos, ou os que lhes póssam tarzer alguma vantagem... OH MUNDO CÃO! Mas quem tem valor de verdade, tem-no em qualquer canto do planeta Terra, e pode crer que por cá, as notícias do seu sucesso, têm provocado fortes dores de cabeça em muita gente e muita inveja... FICO FELIZ AMIGO, POR SI - MERECE-O SEM DÚVIDA! DEUS NADA DÁ A QUEM O NÃO MERECE! DEUS FAZ JUSTIÇA! E PROTEGE OS QUE SÃO VERDADEIROS E SOLIDÁRIOS E ANDAM DENTRO DOS CAMINHOS DA HONRA!

—————

Data: 05-03-2013

De: Vitor Santos - Supervisor de Segurança Ferroviária de Lisboa e Vale do Tejo

Assunto: UM ROUBO!

Depois de tanto me dar cabo da carola, quando trabalhou na estação de Alcântara, como teu ex chefe, e teu superior hierárquico, continuo a ser um simples e modesto Supervisor de Segurança da Região de Lisboa e Vale do Tejo e o meu mui nobre amigo se tornou vedeta de TV e escritor famoso. Humildemente tentei adquirir o Livro Coraçando, enquanto estou a tempo, e antes que se torne num Prémio Nobel da Literatuara, como o nosso José Saramago, recorrendo ao mail aqui indicado em Vender Livros. livrariaesc.aferreira@sapo.pt mas não dá. O livro Coraçando custa 80R$ = 31,16€, livro com portes incluídos. Mas o Banco cobra as seguintes taxas: Câmbio Internacional, 13,34€; Transferência Internacional, 3,90€; Serviço Bancário, 25€; o que eleva o preço do livro para 73,40€ = 188,50R$. Mas calma, depois, o fisco e as nossas finanças ainda cobram os seguintes valores: Transferência de Divisas para o Estrangeiro; 18,36€ e ainda, o IVA – Imposto Sobre o Valor Acrescentado, 21,11€. Custo final do livro: 112,87€ = 289,86R$ por um livro cujo valor é 31,16€ = 80R$. Um roubo. Dava para comprar praticamente 4 livros. Amigo, se conseguires que alguma editora portuguesa edite o livro, ou alguma livraria nacional esteja disposta a vender em Portugal o livro, gostaria de o ter. Mas assim não dá. A vida aqui está difícil e não posso dispender de mais de cem euros para comprar um livro.

—————

Data: 03-03-2013

De: Ivanilda Martinelo Ivanilda

Assunto: Acabei de ler

ACABEI DE LER: CORAÇANDO PRINCESINHA DO ACRE, UMA GRANDE MULHER. DE ALOISIO AUGUSTO DA CRUZ F DA CASA,LANÇADO ONTEM. UMA VIAGEM POR PORTUGAL,FRANÇA E BRASIL (ESPECIALMENTE ACRE). UMA LEITURA DINAMICA. QUANDO SE COMEÇA FAZ ASSIM COMO EU,SÓ PARA QUANDO TERMINA. O LIVRO DESCREVE DUAS PESSOAS ALHEIAS À EXISTENCIA UMA DA OUTRA E QUE DEUS ATRAVÉS DE SUAS LINHAS TORTAS OS LEVARAM AO MESMO LUGAR E QUANDO SE OLHARAM NÃO PARARAM MAIS DE SE VER UM NO OUTRO,UNIDOS ENFRENTAM OS DESABORES QUE A VIDA LHES PREGA. NÃO POSSO FALAR MAIS,POIS NÃO POSSO ACABAR COM A CURIOSIDADE DOS PRÓXIMOS LEITORES. GARANTO! NÃO VÃO SE ARREPENDER DE ADQUIRIR ESSA OBRA FASCINANTE DESSE PROMISSOR ESCRITOR Lu Ferreira.

—————

Data: 28-02-2013

De: Governador Tião Viana

Assunto: Convite

Lu Ferreira, parabenizo você e sua esposa pelo lançamento do livro. Gostaria se possível que me enviasse o convite por e-mail para gabinete.governador@ac.gov.br para que a minha secretária possa verificar minha agenda para esse dia. Grande abraço.

—————

Data: 25-02-2013

De: CASA DO BENFICA DE PARIS

Assunto: Um Aladino muito confuso

Ora bem, sempre achamos esse Aladino muito confuso. Deixou fugir sua princesa Jasmim; teve mil e uma complicações e discussões com o Génio. Chamava os aviões de tapetes voadores... A Jasmim fugiu no dia em que em pleno vôo entre Lisboa e Barcelona, um outro príncipe a pediu em casamento, em direto, nos telejornais, para todo o Portugal ver... Mas o Aladino tinha uma predileção especial por princesas e lá foi caçar outra princesinha, nos confins do mundo, numa Amazónia, ou seja, no Acre... Agora a sério, o Aloisio foi um educador extraordinário. Um amigo das crianças e estava sempre inventando mil e uma formas de as tornar felizes... Como nessa vinda a Paris à Eurodisney... Por isso a Casa do Benfica de Paris adquiriu 350 livros Coraçando que ofereceu aos seus 350 associados mais antigos... Aqui, como na tropa... A VELHICE É UM POSTO! Adorámos! O livro e a linda história!

—————

Data: 22-02-2013

De: Rute Vanessa Gomes

Assunto: tenham vergonha

Portugueses com talento são reconhecidos fora de Portugal... Por cá, é só explorar e muito dificil darem valor a quem o tem. Aqui deixo o link: https://youtu.be/OTWRoe6FtDg
vejam. Mandei para as televisões portuguesas, pode ser que apanhem o comboio em andamento e ainda vão a tempo de amenizar a vergonha e dar valor a quem o demonstrou ter, em terras acreanas.

—————

Data: 22-02-2013

De: António Palma

Assunto: Obrigado e quero 1 livro coraçando

Caro amigo Aloisio manda-me um livro a cobrar que eu não posso perder. Aqui está muita chuva, vento, frio, etc.Espero que esteja tudo a correr pelo melhor com o lançamento do teu livro.Estou de partida à Madeira. Não esqueço que no dia em que regressei do Alentejo, onde estive a trabalhar mais de dois meses, minha ex esposa, tinha vendido tudo. Estava sem casa e passei por muita dificuldade. E a única pessoa que me acolheu em tua casa foste tu. Foste o amigo que fez por mim o que familia não fez. Como tu sabes, isto por cá vai de mal a pior ninguêm corre com este governo. Espero que tenhas muita sorte e que seja um sucesso o teu livro. Gostaria de ter um livro assinado por ti. Mais uma vez obrigado por não te teres esquecido de mim e te desejo toda a sorte do mundo! Palma. És um ser humano único! Dos poucos em quem podemos realmente confiar.

—————

Data: 20-02-2013

De: Noélia Gregório

Assunto: Resposta a SRª D. Adélia

Senhora Adélia, sou uma jovem de apenas 16 anos, Noélia Gregório. Se meu irmão fosse vivo, teria mais cinco anos que eu. Li a sua resposta a minha mãe. Desde que meu irmão ficou em estado vegetativo, naquele estúpido acidente, do qual ninguém tem culpa. Se há um culpado, é o destino, é a inconsciência de quem é jovem e pensa ser o dono do mundo. Nossa vida tornou-se insuportável. Minha mãe só destila angustia e ódio para com o mundo. Hoje vivo com meus tios, porque não aguentei viver nesse inferno. PERDOE se puder, a minha mãe.

—————

Data: 22-02-2013

De: ada lima (adelia)

Assunto: Re:Resposta a SRª D. Adélia

QUEM SOU EU PARA PERDOAR????MAS O NOSSO DEUS Q É RICO EM MISERICÓRDIA HÁ MUITO Q PERDUOU.
LEIA TODOS OS DIAS O SALMO 121 E PONA NO LEITO DE DORMIR,MESMO Q ELA NAO SAIBA...DEUS VAI AGIR.FICA NA PAZ DO
SENHOR.

—————

Data: 18-02-2013

De: Sara Mendes

Assunto: O Peso da Camisola

Tive a honra de ser treinada pelo Mister Aloisio Ferreira, enquanto integrada na equipa Next 17 Feminina de andebol, da Escola de Formação Desportiva Geração Sport Lisboa e Benfica da Ericeira - EFDEGB Sport Lisboa e Benfica. Quer em Portugal, quer no estrangeiro, disputamos torneios em Paris, França; Frankfurt, Alemanha que vencemos; Valência, Espanha e Nordic Paradise, Canadá, que vencemos. O Mister não permitia mau comportamento e sempre nos ensinou que enquanro fossemos a Sara, a Guilhermina e o Aloisio, etc,. ninguém nos conhecia, mas ao vestirmos a camisola do Benfica, o nosso mau comportamento manchava era a imagem do clube, não era a Sara que seria desacreditada, mas todos diriam o pessoal do Benfica são do piorio. Assim aprendi que o peso da camisola é uma grande responsabilidade. E isso vale tanto para o clube, como para a empresa para a qual trabalhamos, como para a igreja que frequentamos. Quando integrados numa organozação, o comportamento é vital para não manchar a imagem da mesma. Com esse grupo, liderado pelo Mister, aprendi também a ser humilde, solidária e que nada alcançamos isolados ou sós. Brincávamos muito, mas havia respeito. Mister Aloisio, nas viagens, nunca entrou em nossos quartos sem antes bater, po mesmo se passava nas cabines, nos treinos e jogos, só entrava depois de mudarmos de roupa. OBRIGADO MISTER

—————