Por um Mundo mais solidário


Livro de Visitas - COMENTÁRIOS

Data: 02-05-2020

De: AO LEONG U DO ROSÁRIO (MACAU)

Assunto: INSPIRA PELA FORÇA E ALENTO QUE TRANSMITE

Sou uma jovem estudante da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Macau e adorei este livro. Corajoso, a história da vida do Toni, atualíssimo pelo momento que todo o Mundo vive, único sobre a morte e os mistérios da vida. Aloisio Ferreira Casa fala da morte e da vida de uma forma surpreendente e desassombrada, sobre a vitória sobre a morte para quem está com Cristo. São palavras de consolo para quem perdeu um ente querido, de amor pela vida, desmistificando a morte que nos tocam pela capacidade de transmitir sentimentos e emoções, sem máscaras, num mundo, agora tão amordaçado a elas, as máscaras. Inspira pela força e alento que transmite aos que ficam.

—————

Data: 01-05-2020

De: DANIELA SOFIA KORN RUAH OLSEN (LOS ANGELES)

Assunto: POLÉMICAS À PARTE

Excelente livro, mais um do meu amigo CAXITO. Estação Terminal é mais um livro que faz a apologia do amor, retratando a vida do Toni, mais uma vítima desta Pandemia que nos surgiu para nos fazer repensar a própria vida. Muito boa a visão do escritor, retratando e demonstrando os erros e como devemos agir, criticando o que é necessário criticar, com humildade, respeitando todos e sem polémica. É lamentável que ainda exista quem não entenda que só o amor nos pode levara vencer o vírus. Que ele é o nosso único inimigo... Excelente.

—————

Data: 01-05-2020

De: CRISTINA PIMENTEL TEIXEIRA (SABUGUEIRO)

Assunto: LEITURA NON STOP

Excelente livro (Estação Terminal)! Quando se começa a ler não se quer parar! Para mais agora que todos vivemos este drama da Pandemia. Atualíssimo.

—————

Data: 01-05-2020

De: TERESA DE ANDRADE LEAL COELHO (LISBOA)

Assunto: EMOCIONANTE MENSAGEM FÚNEBRE

ESTAÇÃO TERMINAL – Aloisio Ferreira Casa conta a história do TONI, emocionante, comovente. Fez-me chorar. Além de que nos conta aquilo que vivemos hoje, o Mundo. Baixei o livro pela curiosidade e por ter compreendido pela sinopse que focava o atual momento. Aliás. Logo na capa vemos esse comboio, o COVID-19. Hoje, alguns apresentam a China como a culpada de tudo? Não sei se é? Agora amei a lucidez deste escritor a chamar a atenção para nos voltarmos para Deus, para o amor. Emocionante a Mensagem Fúnebre para a Jú! Quantas vezes nos queixamos da vida sem razão? O TONI foi um lutador, um sofredor, mas um lutador. Uma vida sofrida, mas sempre lutou e se manteve dentro dos trilhos. É realmente um vencedor, venceu o vírus e a morte. Tocou-me particularmente, pois eu também perdi um familiar, um irmão com o COVID-19. Revejo-me na personagem da Jú. Estamos todos, eu minha mãe, a família, com a mesma dor da Jú. Vou passar a mensagem dedicada à Jú, pois a minha família necessita dela, desse balsamo. Serve como um guia envolvente e franco da fascinante humanidade de que fazemos parte.

—————

Data: 30-04-2020

De: Pra VIVIANE AGUIAR GONÇALVES (SEIXAL)

Assunto: VAI FICAR TUDO BEM!

Como Pastora, agradeço a Deus a possibilidade de conhecer este escritor. Na verdade, não o conheço, mas acabo de ouvir e publicar no YouTube uma mensagem dele para a nossa Irmã Jú. Ela ainda magoada, ferida pela perda do Toni, seu esposo, companheiro e amante, a mensagem deste escritor que também é Capelão foi um poderoso Salmo de consolo. O escritor estava escrevendo um livro baseado na vida do Toni. Sinto-me uma privilegiada por ter tido acesso ao mesmo, ainda antes dele ser editado. ESTAÇÃO TERMINAL é um livro fabuloso que retrata a vida do Toni, mas também fala de Deus. Como não podia deixar de ser, ele foca este momento tão difícil que estamos vivendo, com esta Pandemia. E fá-lo com extrema lucidez, sarcástica, mas apropriada. É realmente um livro notável e estou ansiosa para o baixar assim que sair. Estou à 28 anos a viver em Portugal. Sou brasileira e acabo de ficar envergonhada. Como Pastora não devo entrar no campo político, mas sempre temos as nossas preferências. Sei que Portugal foi e é um exemplo na forma como tem lidado com esta Pandemia, mas reconheço que o Brasil tem uma conjetura diferente, não devendo ser possível fazer o isolamento total que Portugal fez, até porque os brasileiros, a esmagadora maioria dos brasileiros não têm como suportar uma longa paragem como Portugal. Se em Portugal ela causa problemas, no Brasil vai mesmo levar muitos a morrerem de fome. Apoiei Bolsonaro e tenho ficado triste com a campanha de muitos Governadores Estaduais, acreditando que eles eram criminosos conspiradores. Fiquei triste com as postagens supostamente cómicas, dando Bolsonaro como um assassino que está fazendo o que a Ditadura Militar não fez. Fiquei e fico triste com a forma como a própria imprensa portuguesa e europeia tem falado, atacado Bolsonaro que caiu no goto dos cómicos europeus que passam a imagem de Bolsonaro como um louco. Neste livro, este escritor captou a essência que eu não tinha ainda captado. Ele foi tremendamente perspicaz ao notar que Bolsonaro tem vindo a errar, pela pressão, pela impetuosidade que o faz dizer a primeira coisa que vem à cabeça e de tão pressionado, reage intempestivamente. E sou forçada a dar razão ao escritor quando afirma que o Presidente tem demasiada propensão para a vaidade. É também perspicaz o escritor quando concluiu que as preocupações do Presidente com a economia são legitimas e ele não é louco. E nem consigo ficar triste quando, recorrendo ao sarcasmo que lhe é peculiar, o escritor apresenta o Presidente como uma cópia do Rambo e pior, desejando criar um novo Super Herói, o Messias que não faz milagres mas enfrenta todos os vírus reduzindo-os a simples gripezinhas. Infelizmente tenho de dar razão ao escritor sobre o desnorte Brasileiro e bem desejaria que os políticos do meu país lessem e captassem a mensagem. Só há um inimigo, o vírus. E só o podemos vencer com o amor. Brilhante este escritor que a todo o momento prega o amor e combate o ódio. Também eu não compreendo como tantos que se afirmam cristãos, por questões insignificantes, inundam as redes sociais destilando ódio sobre os que pensam diferentemente. Para a Jú, o livro é particularmente um bálsamo redentor, A Jú que andava perdida, já não sabendo o que havia de fazer. Para quem aprendeu o que se deve fazer, mas já esqueceu. Para quem sabe o que deve fazer, mas não o faz. Este é um livro prático, com muitas sugestões concretas que dão resultados palpáveis. Este livro está muito claro e bem estruturado ... Está extremamente atual e basta seguir uma ou duas das recomendações do livro para já ter valido a pena. Em especial o seu final, onde o escritor afirma e tem toda a razão. Deus nunca nos abandona e portanto... VAI FICAR TUDO BEM!

—————

Data: 16-04-2020

De: CARLA SOFIA SANTOS PEREIRA PIRES (VISEU)

Assunto: MISTÉRIOS E FANTASMAS

Mais um livro deste escritor... É um mistério! Como se tornou escritor? Terá sido por via dos fantasmas? Sei que ele não se lembra de mim, mas eu vejo esse fenômeno como um escape. Deixou Portugal para ir até ao Brasil atrás de uma ilusão e embora não o confesse, aqui e ali, vemos que está sufocado, subjugado a... Então, resta-lhe a escrita. Como sempre escreveu ,mais ao menos bem, até se vai safando, é quase um escritor. Como é meu hábito, não tenho papas na língua e digo o que penso. Mistérios e fantasmas na vida do escritor seria o livro ideal para ele escrever.

—————

Data: 14-04-2020

De: ISABEL SANTOS DO CARMO (LISBOA)

Assunto: SÓ AGRADECER

Este mundo está completamente virado do avesso, mas também nos está dando muitos ensinamentos para a nossa vida. Como reclamamos contra tudo nesta vida, a maioria das vezes sem a mínima razão, apenas pensando no nosso umbigo. De repente a vida parou, todos fomos obrigados a ficar em casa. De repente não sabemos como passar o tempo e que fazemos, falo por mim, protestamos mais uma vez. Enquanto protestamos, eu observo meus sobrinhos, jovens, sem escola, aceitando muito melhor esta situação... Ouvindo seu áudio livro no Portal da Literatura. E vejo que há quem em vez de protestar, faça algo pelos outros, disponibilizando seu livro em áudio de forma completamente gratuita. Não sei imaginar sequer o quanto tempo leva para escrever um livro? Quantas dores de cabeça, esforço intelectual, literário? E aí está alguém disponibilizando sua criação para nos ajudar a passar este tempo de confinamento. E aí me pergunto; COMO SOU RÍDICULA! Deixarei de protestar a passarei a agradecer...

A DEUS por estar viva, meus filhos, meu esposo, estarem vivos. Depois lhe agradeço a si pela disponibilização do seu livro. Agradeço aos meus sobrinhos e a minha filha que já é adulta, mas por via deste confinamento também está privada de muita coisa como todos nós. Não é fácil, depois de terem fechado as escolas... saber que por muito tempo não vai haver aulas nas escolas.. Não foi fácil. CRIANÇAS NA QUARENTENA. Quando falamos de heróis, há uns muito especiais, como você amigo escritor, oferecendo o seu trabalho para todos gratuitamente. Há outros heróis especiais que como você são esquecidos... São os nossos filhos, os nossos sobrinhos.
- Eles aceitam tudo.
- São obrigados a desistir de tanta coisa e mesmo assim aceitam muito melhor que nós.
- Passam a ser privados da escola.
- Deixam de puder poder brincar uns com os outros.
- Deixam de poder brincar com os amigos.
- Agora só veem os amigos e as professoras virtualmente.
- As visitas aos avós passaram a ser proibidas.
- Acabaram as saídas ao Parque.
- Acabaram as idas ao Centro Comercial.
- Deixaram de poder ir às compras com os pais.
- Não existem mais as festas de aniversário dos amigos e nem sequer as deles, as dos pais, mães, tios, avós.
- Não podem comemorar a Páscoa com a família.
- Não podem ir a discotecas.
- Não podem ir á praia.
- Ainda por cima são obrigados a suportar as preocupações dos adultos, pais, avós, tios.
- São obrigados a ouvir e lidar com as suas reclamações e; acima de tudo, o mau humor de todos nós, adultos.

E no entanto, eles se resignam, aceitam, suportam tudo isso sem reclamar ou a reclamar muito pouco, muito menos do que nós reclamamos, porque eles sabem.
- Lá fora está uma doença que nos ameaça a todos!

Olham para mim e para a mãe, atentos ao seu livro que ouvem pelo Portal da Literatura com ATENÇÂO...
“Eu sei mãe! É por causa do Coronas Vírus! Deixa estar mãezinha... vai ficar tudo bem! Olha aqui... este livro em áudio... Deus não nos vai abandonar... VAI FICAR TUDO BEM!”.

AH! Eu sou adulta! Estou envergonhada... Caramba... Meu Deus me perdoa. Há gente a morrer lá fora, nos hospitais e eu a reclamar porque tenho de ficar em casa... Tenho vergonha, mas como sou adulta consigo disfarçar. Digo que tenho de ir ver o tacho que está ao lume... A PARTIR DE AGORA VOU SÓ AGRADECER.

—————

Data: 07-04-2020

De: MARTA CARDOSO BROGUEIRA LARANJO (LINDA A VELHA)

Assunto: MIL VEZES O DIABO!

Agora não nos falta tempo, embora falte tudo o resto. Acabei baixando o livro DEUS E O FIM DO MUNDO, pelo título. Não conheço o autor, nem pretendo conhecer. Lamento que ele nos bombardeie com essa coisa do Deus... Não sei se é intencional, com o intuito de nos ludibriar, ou o autor não passa de mais uma vítima dessa grande mentira espalhada através dos séculos... Deus! Sou uma jovem de 37 anos, vivo com o meu marido e as minhas 2 filhas, 9 e 6 anos. Acredito que sou despretensiosa, mas não posso deixar de lançar aqui o meu grito de revolta. É curioso. Quantas vezes comentei com o meu marido sobre os presidiários em domicilio? Achava que era uma brincadeira. Ah! Preso em casa... Hoje mudei a minha concepção. É terrível. Aqui estou eu condenada sem ter feito mal algum. Não podemos ir a lado nenhum que não venha a polícia nos perguntar onde vamos? Seja a pé ou de carro. Até uma simples ida ao supermercado que antes era em família, agora é em plena solidão, apenas um de nós pode ir. Caro escritor, deixe suas historinhas para lá e encare a realidade, é esse o seu Deus? Bom, mas isso não é o pior. Somos de Trás-Os-Montes, eu e o meu esposo, de pequenas aldeias que distam 9km uma da outra. É na Páscoa que tiramos as férias. A Páscoa na nossa terra é tradicionalmente comemorada, a partir da quinta-feira, lavando e arrumando as casas que têm de estar impecáveis. O A sexta feira é de recolhimento e oração na igreja. É; nas nossas aldeias ainda acreditam nessa mentira chamada Deus. O domingo é de almoço em família e o grande dia que lá é feriado, é a segunda-feira. Lá o feriado é na segunda e não na sexta feira santa. Logo pela manhã a mesa bem farta é colocada, todos se preparam e vestem suas melhores roupas, esperando o padre que visita as aldeias, entrando na casa de cada um, benzendo a casa e partilhando dos alimentos na mesa. Assim se vai dizimando a mentira. Deveriamos ter viajado ontem ou hoje. Com três semanas de prisão em domicílio que agora sei como é dolorida. Meus pais já não são novos, 68 e 63 anos. Este ano não posso abraçá-los, a polícia nem nos deixa ir a lado nenhum. Meus pais vivem sós. A vida está difícil e só na Páscoa e no Natal temos possibilidade de os visitar. Meu esposo está em Lay off da sua empresa e eu estou sem ganhar um tostão. Sou mulher a dias e minhas patroas não me estão dando serviço. Está tudo preso em domicílio. Não trabalhando, nem os míseros 8 euros por hora ganho. A situação está cada vez mais negra. O que mais me doi é que minha mãe acabou sendo infetada com essa doença e está nos cuidados intensivos, em estado crítico. Não sei se voltarei a ver a minha mãe? E se ela partir. Nem me despedir dela posso. Uma amiga minha a quem faleceu um familiar, mesmo sem ser pela doença maldita, devido a esse tal de isolamento social, apenas os quatro ou cinco familiares mais chegados puderam acompanhar o funeral no cemitério e nem velado na igreja foi. E obrigados a manter uma distância de cerca de dois metros uns dos outros e do caixão. Minha amiga contou-me pelo telemóvel, em lágrimas. É escritor, continue a contar suas histórias, que seriam humorísticas se não fossem trágicas. Não me venha para cá falar de Deus! Olhe; lhe confesso que se este é o vosso Deus, condenando-me a mim, minha família, nos fazendo a todos prisioneiros inocentes, então, meu caro, mil vezes o diabo. Mil vezes eu escolho o Diabo!

—————

Data: 29-03-2020

De: PAULA PROENÇA TAVARES (PORTO)

Assunto: MUITO BOM

Gostei imenso deste áudio-livro colocado no Portal da Literatura, DEUS E O FIM DO MUNDO. Um romance que retrata várias épocas e respetivos modos de vida que me fascinou, bem como o tema. Ouvi em pouco tempo. Nesta situação de isolamento social, tempo não nos falta. Recomendo a leitura ou o áudio-livro, porque é acessível a qualquer pessoa.

—————

Data: 28-03-2020

De: ANABELA CALDEIRA CHIOLA (ERICEIRA)

Assunto: FAZ BEM – LER/OUVIR!

É difícil ficar em casa. Nunca passei por uma situação destas. Portugal e o mundo vivem uma situação inusitada. Linda a iniciativa do Portal da Literatura que me permitiu ler/ouvir este livro e disponibilizá-lo para a minha mãe ouvir. Livro que fala de coisas tão importantes e atuais, mas que aquela parte em que fala da mãe é maravilhosa. Cheio de mensagens lindas para todas as idades. Hoje mais que nunca verificamos como dependemos de Deus. Maravilhoso o que o autor diz, a forma como ele acreditam que o amor não é um problema mas a solução para viver a vida. E como nos faz acreditar. Escrito por um grande escritor, ainda que seja desconhecido, pelo menos eu nunca tinha ouvido falar dele. Esta é uma uma obra literária maravilhosa que encanta miúdos e graúdos. E não é que o autor me parece perseguir. Sou mãe de uma menina com onze anos e começa a ser difícil, muito difícil de aguentar a pressão de estarmos em casa. No fundo estamos presos, por via de um vírus que abalou o mundo, mais que o mundo, abalou os alicerces da raça humana, das nossas sociedades, colocando a nu como somos frágeis. E hoje, ao passar pelo Portal da Literatura, acabei vendo um post deste escritor. Um maravilhoso Conto Tradicional Português que não conhecia. A minha filha adorou. Por uns minutos minha filha me deixou respirar. Já ouviu a história umas três vezes. Aconselho vivamente....livros sempre, lendo ou escutando áudio-livros. Meu caro escritor, se tiver por aí mais algum pedacinho de mágica na sua varinha de condão, esteja à vontade. Estamos tão carecidos desses momentos...

—————

Data: 17-03-2020

De: FÁTIMA CRISTINA COELHO SEQUEIRA DA SILVA (LISBOA)

Assunto: NADA É POR ACASO

DEUS E O FIM DO MUNDO foi publicado em Fevereiro deste ano, no início. Eu li um post aqui colocado e estou inteiramente de acordo. Não foi por acaso que este escritor escreveu este livro. É intuitivo. Minha mãe era cliente da mãe do escritor a TINA. Repare que a alusão ao problema da Lepra, quando todos já se haviam esquecido que ela existiu... A alusão aquele dia do Fim do Mundo, das terríveis cheias em que o governo de Salazar acabou enterrando muitas vítimas sem sequer as contabilizar ou identificar. Que semelhança com o que se passa em Itália, num momento em que já estão tentando descobrir como cremar muitos dos mortos. Talvez não vão ao ponto de não os identificar, mas a situação que o mundo vive hoje dá que pensar. A Tina era extremamente intuitiva, Deus lhe transmitia muitos eventos antes deles ocorrerem. O escritor Aloisio Ferreira Casa deve ter herdado uma pontinha dessa intuição, ainda que até possa não ter a percepção dessa herança e desse dom e quanto mais reflito sobre este livro e o momento que o mundo vive agora, mais me convenço que Deus utilizou este escritor como veículo para preparar alguns dos seus leitores para o momento que vivemos. Aqueles que têm capacidade de o perceber. É minha convicção. Os protagonistas estão dentro de uma trama que me despertou compaixão. Até aquele diálogo consigo próprio, referente à morte da Comadre, do Padrinho, o filho daquela, nos leva a repensar e aceitar melhor a morte, o medo, neste momento difícil da humanidade. Para mim, não foi por acaso. Nada é por acaso.

—————

Data: 17-03-2020

De: LUÍS ANTÓNIO MENDES DA CONCEIÇÃO (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: QUE SE LIXE!

DEUS E O FIM DO MUNDO! Questionando o escritor: Este livro é sem a mínima dúvida, embora com outros nomes, a história da família do meu velho amigo Luís, cuja família tem raízes seculares, com seus antepassados a fundarem esta terra. Está escrito de uma forma que nos apresenta Jesus! Deus! Como os grandes salvadores da humanidade. Como cristão que era, sentia a mesma presença deles ao meu lado, quando estava em baixo bastava pegar na Bíblia e encontrava a palavra que precisava ouvir. De repente tudo mudou. O meu amigo e a esposa estão no Hospital de Santa Maria, com esse terrível doença do Coronas Vírus. Onde está Deus que não acode aos milhares de inocentes? Onde está o nosso Governo, as nossas autoridades? Não sei como os meus amigos contraíram a doença? Onde? Até há poucos dias atrás, Portugal não tinha quase casos nenhuns. De repente, todos os dias se verificam mais, cada vez mais casos. Agora eu pergunto, o que o Governo está a fazer para proteger os portugueses? As famílias que vivem nas ruas, os bancos lhes tiraram as casas porque não as puderam pagar? Quem os protege? Estou a falar dos milhares de Sem Abrigos. Não dos refugiados que esses têm tudo, estão em boas casas. Uma quinta aqui tem seis a trabalharem nela. Essa quinta fica pegada á quinta dos meus amigos e dois deles, dos refugiados, estão infetados com a doença. Quem me garante que não foram eles os portadores que a transmitiram aos meus amigos? Quem me garante que eu, a minha família não seremos os próximos? Eles, os refugiados têm uma casa paga pela Segurança Social. Eu pergunto; não daria para abrigar nela e nas outras que distribuíram pelos refugiados que não são portugueses, pelo menos, uns dois ou três, sem abrigo, portugueses nelas? Tenho uma sobrinha que vive numa parte de casa, em Lisboa, com o companheiro. Eles têm uma filhinha recém-nascida, seis meses. Ela trabalhava num Restaurante da Cidade de Lisboa. O companheiro trabalhava num bar, á noite. A Polícia pelas nove horas da noite, passa por todos os estabelecimentos, verificando se estão abertos e obriga os que não tiverem respeitado a lei a fechar, colocando os clientes na rua. Obrinha contou que a polícia chegou no bar, no sábado pelas 21 horas e eles se tinham atrasado um pouco e disseram com toda a arrogância: “Você não foi avisado de que agora tem de fechar às 21 horas? Toca a fechar. Imediatamente.” E logo foram empurrando todo o mundo, os clientes. Três nem pagaram a despesa. O patrão despediu a minha sobrinha. Os restaurantes foram forçados a abrir mais tarde e fechar mais cedo, a guardar um espaço maior entre as mesas, diminuindo drasticamente a capacidade de lotação. No Restaurante onde minha sobrinha trabalhava, o espaço que era ocupado por 4 mesas, agora, cumprindo a lei de contenção, está apenas 1 mesa. Como é que a minha sobrinha vai pagar as contas, água, luz, alimentação, os 300€ de renda? Aqui ainda não chegou a situação da Itália, mas só ontem foram registados mais 200 casos em Portugal. Em Itália, o colapso do sistema de saúde levou os profissionais de saúde a terem de escolher quem morre e quem não morre. O pior é que as próprias autoridades reconhecendo a impossibilidade de garantir ventiladores para todos os doentes, estão cogitando estabelecer isso mesmo em decreto, determinando que quem tem oitenta anos ou mais, não seja tratado e se deixe morrer. Não são Fake News. Está reconhecido e notificado por todos os canais televisivos portugueses. É real! Nunca pensei viver o suficiente para ver uma coisa destas. Dizem que Jesus vai voltar. Sempre o ouvi na igreja e agora, com essas novas igrejas, religiões, evangélicas, eles apregoam até à exaustão que Jesus vai voltar. Então, se vai, porque não veio, não vem colocar ponto final neste drama? É isto o Apocalipse? Não é esse o Deus, o Jesus em que eu acreditava. Para mim chega. Que se lixe... Se vamos morrer todos, me deixem morrer desiludido. Me deixem gritar a minha revolta. Caro escritor, escreva a verdade, escreva um novo livro sobre este FIM DO MUNDO que veio agora se abater sobre nós. Deixe esse testemunho ao mundo, se amanhã ainda houver mundo?

—————

Data: 17-03-2020

De: AFONSO CARLOS PIMENTEL (ERICEIRA)

Assunto: BEM AVENTURADO POR OUSAR!

Como Crítico literário do Ericeira Cultural, li este DEUS E O FIM DO MUNDO. Não conheço o autor e me decidi por esta semana escolher este livro porque estamos realmente a viver como se enfrentássemos o Fim do Mundo. Perspicácia, experiência e legitimidade para afirmar que a vida enquanto for pensada e vivida apenas no limite da matéria, jamais pode ser bem realizada e saudável, com a particularidade de fazê-lo num romance repleto de suspense. Admiro a ousadia do autor no aflorar do problema do Hospital Rovisco Paes, da lepra, uma doença do passado e que todos pensávamos não mais ser possível, nenhuma doença nos afrontar assim, ameaçando toda a população mundial, certos de que a nossa capacidade, inteligência e conhecimento era suficiente para garantir que nenhuma pandemia nos conseguia fazer frente. A ousadia do autor no aflorar dos nossos erros, de Portugal, no tempo da Escravatura. Algo só ao alcance de quem está inequivocamente seguro da informação que transmite. Por curiosidade dei uma vista de olhos por algumas críticas postadas nesta página. Deus! Quem é Deus? O que Deus fez por nós? Onde está? Quem o viu? Questões que o autor não veio aqui responder, o que entendo, pois ao abrir a crítica aos leitores, deve encarar e respeitar todas as opiniões, favoráveis ou não. Mas olhando esta pandemia do CODIV 19, vejo que esse Deus de que duvidam está-nos a dar a resposta. Este livro publicado há cerca de dois meses se tornou, de um dia para o outro, tão atual... O mundo de um dia para o outro caiu de quatro... Vejam e aprendam. Como dependemos de Deus! Como somos tão frágeis! Deixem o orgulho de lado e clamem a Deus! Compreendo-o perfeitamente meu caro Aloisio Ferreira da Casa. Bem aventurado por ousar!

—————

Data: 14-03-2020

De: LARA CARDOSO CHAVES RAMALHO (LISBOA)

Assunto: Este é o vosso livro! (OU) ESTE É O VOSSO LIVRO

Representei o Grupo de Teatro O GAJA nos bons velhos tempos do Liceu. Hoje vejo este antigo colega de liceu se assumir no campo da escrita. Aliás, hoje não. Já no liceu ele mostrava a sua capacidade. Nossa professora Ana Luíza, nos fazia queimar os neurônios procurando cumprir os temas mais estapafúrdios das redações que nos mandava fazer... Era desesperante... E Aloisio Ferreira da Casa, o nosso CAXITO, nem pestanejava, com toda a facilidade fazia as redações, fosse qual fosse o tema, enquanto nossos neurônios estavam esturricando. Era de longe o melhor aluno de Português e muito melhor que todos nós juntos no campo da escrita, da redação. Eu vingava-me na matemática, onde sempre superava a nota dele. Bom! Se querem um livro espetacular e fantástico, sobre o amor, a família, este é o vosso livro! Mas se querem um livro que vos leva ao encontro de Deus, vos pode transformar em novas criaturas, vos afastar de vossas angústias, com naturalidade e vos realçar o campo espiritual, sendo mais humanos, fazendo emergir de dentro de vós o que tendes de melhor... Então este É O VOSSO LIVRO! Parabéns ao CAXITO pelo excelente livro e pelo imenso amor que semeia em cada livro que faz nascer pela sua pena! Estou super fã!!

—————

Data: 14-03-2020

De: BRUNO MOISÉS DE DEUS (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: FANTÁSTICO!

Sou um jovem do Grupo Teatral da Casa do Povo de Aldeia Gavinha e adorei este livro que fala do FIM DO MUNDO, uma situação que parece estar a se repetir neste momento, não pelas chuvas diluvianas, mas por um vírus desconhecido, não afetando a população da nossa região, mas toda a população do mundo. Isso deve ser suficiente para nós ponderarmos em como somos demasiado pequenos e dependentes de... DEUS! E este livro mostra isso com clareza. Mais um livro super envolvente deste autor!

—————

Data: 13-03-2020

De: HELENA LAPAS EVANS (LISBOA)

Assunto: QUE BÁLSAMO PODEROSO!

Pertenci ao Teatro O GAJA nos bons tempos do Liceu Nacional de Gil Vicente. Ao contrário do Aloisio Ferreira, segui a carreira teatral e hoje faço parte do Grupo O Chapitô. Neste momento demasiado complicado para o mundo, o que não me falta é tempo. Com o problema deste novo vírus que levou a que os teatros fossem encerrados em Portugal, a coisa se complicou. A cultura não vive os seus dias mais gloriosos. Eu e os meus colegas vivemos do teatro e se ele fecha, não há público, nem espetáculo, não há bilheteira nem receitas. Se com elas já é complicado recebermos no final do mês, imaginem como vai ser sem espetáculos, durante, não se sabe quantos dias??? Estressada, nervosa, aflita, a leitura é ótima para nos distrair e acabei baixando este DEUS E O FIM DO MUNDO. Como Deus escreve direito por linhas tortas. Um livro que facilita as aprendizagens de temas como este que vivemos e que já sucedeu antes com outras doenças, como a lepra, e ao mesmo tempo nos anima, nos lança uma lufada de ar fresco, dá esperança, faz acreditar no futuro, nos aproxima de Deus. Vale a pena! Um livro que desperta o interesse para o tema, combinando a leitura com a aprendizagem de temas históricos, sociais e doutrinais ao nos trazer o conforto de Deus. É um livro que nos lança um repto, aprender, aprender, aprender e quem sabe? Nos fazer acordar, atentar na grande semelhança entre a época da lepra, do Hospital Rovisco Paes e esta nova doença, fazendo nos repensar, como temos vivido. Uns dirão que é utópico, mas acalento a esperança de que alguns entendam a nossa pequenez, mudem, sendo menos egoístas, se tornando mais solidários, mais humanos, mais amigos uns dos outros. O livro, para além dessa esperança e paz que nos traz, está extremamente bem redigido. A mim foi um verdadeiro bálsamo. Acalmou-me.

—————

Data: 12-03-2020

De: JOANA ANTUNES DUARTE (ERVIDEL)

Assunto: E ASSIM SE FALA EM BOM PORTUGUÊS

É arriscado dizer que este livro (DEUS E O FIM DO MUNDO) é quase, quase autobiográfico, uma vez que a ação se centraliza em torno da família de Marquinhos e do mistério que a envolve, mas é inegável o eco da vida do próprio escritor encarnado na figura do Padrinho que esta magnifica historia transmite. Em especial, quando fala com tanta ternura emoção e carinho da mãe (a Comadre) ao se despedir dela com absoluta certeza de que estará ao lado de Deus. Sem querer estragar muito, aconselho o leitor a fazer uma pequena pesquisa sobre o autor onde certamente irá fazer muito mais sentido ao lerem o livro. Uma nota mais pessoal, digamos. É o segundo livro que li deste escritor quase totalmente desconhecido e espero ansiosamente ler mais obras de Aloisio Ferreira Casa. Não é muito comum ver alguém a falar com tanta propriedade e dedicação de Deus, com total desprendimento das coisas fúteis, materiais desta vida, abraçando o amor . Muito interessante. Leiam.

—————

Data: 11-03-2020

De: TÂNIA DIONÍSIO ALCAIDE PAREDES (LISBOA)

Assunto: DIFÍCIL DE LER

Baixei o livro DEUS E O FIM DO MUNDO, porque o autor foi meu colega no Liceu Nacional de Gil Vicente. Me desiludi. O autor abusa de uma obsessão doentia por Deus, impõe ao leitor essa obsessão e transforma um excelente romance com um maravilhoso suspense num palavreado bíblico, como se o livro fosse mais uma versão desse livro obsoleto e alienatório, A BÍBLIA. Em minha frustração acabei não descobrindo que segredo afeta a família de Marquinhos. É que não consegui acabar de ler o livro. Desisti a menos de 1 terço. Se desejasse rezar o terço, iria à Missa.

—————

Data: 09-03-2020

De: VITOR DIONÍSIO DOS SANTOS (DMAMAI)

Assunto: DEUS EXISTE?

DEUS E O FIM DO MUNDO é um livro que nos coloca perante um teorema muito simples: Deus e o homem. Sem Deus não temos futuro? Dependemos de Deus? Se o teorema é simples, não é nada credível. Deus existe? Quem é que já viu Deus? Ninguém! Quem é que já sentiu Deus? Aqui, o sentir é mesmo sentir, ser tocado, ter provas inequívocas de que foi Deus quem tocou. Não é o que muitos fanáticos religiosos gritam aos quatro ventos: “Fui tocado por Deus (quando sentiu uma brisa)”. Brisas à muitas! Provas inequívocas de que foi Deus quem nos tocou? Então, a verdade é que ninguém viu, conheceu, sentiu, obteve provas inequívocas de que Deus existe. Então, se não estivermos com a nossa capacidade mental demasiado afetada, ruindo, podre, somos levados a ver que Deus não existe! É apenas uma ilusão a que muitos se entregam para tentar amenizar as suas dores. E cada vez, há menos a recorrer a essa ilusão chamada Deus!

—————

Data: 09-03-2020

De: CECÍLIA FELGUEIRAS DE MEIRELLES BRAGA (LISBOA)

Assunto: UMA PONTINHA DE LÁGRIMAS

Sou deputada do CDS e baixei este livro, DEUS E O FIM DO MUNDO. Um livro que é um romance, repleto de mistério e suspense e que ao mesmo tempo, é uma maravilhosa declaração de amor ao ser humano, à família, acima de tudo, a Deus. Cheio de espiritualidade e calor Cristão.

—————

Data: 08-03-2020

De: PASTORA TERESA CABRAL DA COSTA (ERICEIRA)

Assunto: SIMPLES, FÁCIL E ACESSÍVEL

DEUS E O FIM DO MUNDO é um livro muito interessante que desmistifica ideias pré concebidas acerca de Deus e da humanidade, num romance emotivo, cheio de suspense e que fala da família e da sua importância. Recomendo vivamente!

—————

Data: 08-03-2020

De: SUZANA AMARANTE WELLINGTON RUBENS (ALBUFEIRA)

Assunto: UM SORRISO ACOMPANHA A LEITURA

DEUS E O FIM DO MUNDO! DEUS! DEUS! DEUS! O AMOR! O AMOR! O AMOR! Que retrógrado este livro, o tema, o escritor. Como fala do amor? Isso existe? Amor? O mundo é uma selva, em que o próprio escritor se insere. Um dia, até fez o papel de Bom Samaritano, acolhendo um colega que perdeu a mulher, a casa e tudo. Que imbecilidade! Se o colega perdeu isso, foi porque o seu chefe o mandou para fora, por longos meses... Dispôs das vidas daqueles que lhe eram subalternos e destruiu uma vida. Agora aparece com este livro repleto de falsidade. Leve, fresco! É impossível não ir sorrindo á medida que a história vai se desenrolando em aspetos com os quais inevitavelmente nos quer alienar. Pena que a vida seja o contrário, uma selva em que se SALVE QUEM PUDER.

—————

Data: 08-03-2020

De: SUZANA ALVES NUNES (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: UMA PONTINHA DE LÁGRIMAS

Curiosamente foi com este escritor, enquanto aluna do Liceu Nacional de Gil Vicente que me iniciei no Teatro. No GAJA e no Gil Vicente. Hoje faço parte da Companhia de Teatro Profissional Chapitô, de Lisboa. Acabei vindo morar aqui, nesta aldeia a cerca de sessenta quilómetros de Lisboa. Neste livro (DEUS E O FIM DO MUNDO) o autor homenageia mais uma vez sua mãe, TINA. Desta vez voltando a recordar seus passos, resumidamente, recuando atrás no tempo, para enfrentar a verdade desta vida, uma verdade que nos acompanha a todos. A sua morte. Um dia todos morreremos. Um poderoso e acutilante romance que Aloisio Ferreira Casa aproveita para com maestria emotiva homenagear sua mãe TINA. A Tina que tive o enorme prazer e grande honra de conhecer, uma mulher maravilhosa. Perfeita como modista e que tantos fatos para as personagens que representávamos fez. Pena que todo o espólio esteja agora envolvido num complicadíssimo processo de herança a correr à anos nos tribunais de Lisboa, com novos herdeiros surgidos a reclamar seu quinhão, com muitos credores reclamando os bens para pagamento e até; autarquias reclamando alguns desses bens como sendo sua pertença. Recordo a TINA com enorme saudade e uma pontinha de lágrimas no olhar.

—————

Data: 07-03-2020

De: SANDRA AUGUSTO PEDRO CELAS (ALDEIA GAVINHA)

Assunto: UMA HISTÓRIA DA MINHA TERRA

Baixei este livro porque é uma história da minha terra. Sou uma atriz portuguesa e sei o quão difícil é defender a cultura. DEUS E O FIM DO MUNDO é um romance em que o autor procura se transformar em parte da cura do mundo pela via espiritual. Uma obra dentro do conceito que o autor tem do equilíbrio entre as polaridades ser humano/Deus, sem o qual, ou antes, enquanto esse equilíbrio não for reposto ou recriado, ou mesmo reinventado, não haverá paz no planeta. Não conheço o autor, mas vejo que é um guerreiro em defesa de Deus e dessa paz. Ele pretende continuar a despertar consciências! Não concordo muito com essa visão de um Deus que é o Criador do Mundo, mas sou forçada a respeitar a liberdade do escritor e a sua convicção. Sobre o livro em si, não há dúvida de que é bem construído e reúne todos os ingredientes de um bom romance.

—————

Data: 04-03-2020

De: MANUEL BENTO CAMBADO (VALE DE MILHAÇOS)

Assunto: VEJAM A SINOPSE!

Não tenho o hábito de ler e ainda menos de comentar sobre literatura. Minha esposa já aqui postou um comentário e não era minha intenção fazê-lo. Contudo, como primo do escritor, sou o Bento o filho do Pardinho dele Aloisio, não sendo, contudo filho da Tia Julia. Nem somos muito próximos, embora sempre respeitasse e admirasse este primo, o escritor. O livro DEUS E O FIM DO MUNDO fala de amor e acima de tudo, de família. Tendo como base a família do Marquinhos e o mistério que a envolve, o livro nos lança numa cadeia de acontecimentos do dia a dia. Um romance para quem gosta desse tipo de livros, simples, sobre a nossa sociedade, a vida e as famílias. Curiosamente, vejo muita gente escandalizada pela forma como o autor refere e introduz o elemento Deus em seus romances. Não entendo. Todos temos o nosso direito de escolha, de pensar e concordar ou não. Não vejo, sobre raras exceções, a família do escritor comentar seja o que for? Será que não leem? É um direito seu. Já quanto aos leitores que tanto criticam e se insurgem contra a referência a Deus... Quem acredita em Deus, acredita! É um direito e opção pessoal. Quem não acredita, não acredita! É um direito e opção pessoal. Mas sejam inteligentes! O escritor não engana ninguém... Eu observo a sinopse do livro e lá está implícita a referência a Deus. Se eu leio uma sinopse e vejo que o tipo de leitura não é o meu, não me agrada, o bom senso me diz que não leia. Simples! Não gosto disso, não vou ler! Se não gostam porque leem? Quais as verdadeiras intenções? É que na grande maioria das criticas destrutivas o que vejo é reclamar conta esse elemento; DEUS! Não contra a qualidade da obra. Meus caros, o livro é do escritor e ele escreve o que quiser, aquilo em que acredita. Vão à SINOPSE antes de baixarem e lerem o livro.

—————